Brasil ganhou 85 mil empresas de tecnologia em 2020, diz pesquisa

Segundo dados do Tech Report 2021, realizado pela Associação Catarinense de Tecnologia em parceria com a Neoway, o setor soma mais de 422 mil negócios no país

Foto: Reprodução

O Brasil soma 422,3 mil empresas de tecnologia e, só em 2020, 85 mil companhias se juntaram a esse grupo, segundo dados do Tech Report 2021, divulgado pela Associação Catarinense de Tecnologia (Acate) e pela Neoway. O crescimento do ano passado representa um salto de 25% no número de empresas em relação a 2019.

Segundo a pesquisa, o setor de tecnologia brasileiro chegou a um faturamento total de R$ 426,9 bilhões em 2020, representando 5,6% do PIB. O estado de São Paulo concentra quase metade do total faturado, com 48,4%. Atrás dele aparecem Rio de Janeiro (10%) e Minas Gerais (6,3%). Em comparação com 2019, o faturamento total cresceu 5,4%.

A produtividade das empresas do setor de tecnologia de Santa Catarina é a maior dentre os seis principais polos de tecnologia e inovação do Brasil – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina. O estado registra faturamento médio de R$ 100 mil por trabalhador, quando a média nacional não supera os R$ 72 mil.

Santa Catarina teve o maior crescimento do país no número de empresas de tecnologia entre 2015 e 2020: 63,2%, muito acima da média nacional (26,1%). Já entre as capitais, Florianópolis apresentou a maior densidade de empresas por mil habitantes, seguida de São Paulo e Curitiba. O setor de tecnologia já representa 5,8% da economia do estado.

O estado de São Paulo também se destacou no número de empreendedores. Segundo o levantamento, de 542 mil empreendedores brasileiros que movimentam o setor de tecnologia no país, 36,4% são paulistas, somando 197 mil empresários. Na sequência, o Rio de Janeiro aparece com 50 mil empreendedores e Minas Gerais com 39 mil.

Para realizar a pesquisa, as entidades contemplam dados de diferentes fontes, como o sistema de BI da Acate, dados do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) e da Relação Anual de Informações Sociais.