Empresários do Maranhão mostram otimismo no segmento industrial

O mês foi responsável pela segunda maior pontuação do ano, o estudo indica índice de 61,9 pontos

Foto: Reprodução

De acordo com publicação elaborada pela Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), novembro foi um mês em que empresários da indústria mais acreditaram no crescimento do setor. A publicação foi realizada em parceria com a Federação Nacional da Indústria (CNI).

O mês foi responsável pela segunda maior pontuação do ano, o estudo indica índice de 61,9 pontos. Houve crescimento de 10,4 pontos em relação ao mês anterior, ficando acima da linha divisória dos 50 pontos com uma disseminação considerável.

Perspectiva do estado

O otimismo foi maior entre os empresários da construção civil, com 66,2 pontos. O Maranhão também manteve perspectiva de crescimento, mas o índice nacional e regional não acompanharam o pensamento positivo, segundo o índice, houve diminuição com ambos marcando 56 e 56,9 pontos, respectivamente, mas ainda sim ficam abaixo da linha da divisória dos 50 pontos.

O ICEI também aponta crescimento das impressões dos industriais maranhenses acerca das condições atuais da economia brasileira, do estado e da própria empresa, registrando 46,3 pontos o índice de condições atuais gerais. O índice de condições atuais com a relação à Economia Brasileira marcou 46,8 pontos; ao Estado, 41,6 pontos e à empresa, 46,7 pontos.

Indústria extrativa e transformação

Em relação à construção civil, no mês anterior, houve variação positivo de 10,4 pontos registrando 44,8 pontos. No mesmo período do ano passado, os setores de indústria extrativa e transformação chegou a 47,9 pontos, mas desacelerou 19%.

Este foi o ano de otimismo, a expectativa dos empresários cresceu 11,5 pontos no mês, registrando 69,7 pontos, a maior pontuação do ano. Foi registrado aumento de 15 pontos considerando a economia brasileira, chegando a 65,7 pontos.

O estado marcou 65,7 pontos, enquanto a empresa marcou 71,8 pontos. Vale ressaltar que os índices pontuados ficaram acima da linha divisória de 50 pontos, com sentimento de otimismo dos empresários para os próximos seis meses.