Nubank se torna banco mais valioso do Brasil

Banco digital foi avaliado em US$ 41,5 bilhões (R$ 229,7 bilhões) na oferta base, acima dos R$ 212,9 bilhões do Itaú

Foto: Reprodução

O Nubank precificou suas ações a US$ 9 cada nesta quarta-feira (8), em uma oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) na Bolsa de Valores de Nova York (Nyse). Assim, após alcançar US$ 41,5 bilhões de valor de mercado – o equivalente a R$ 229,7 bilhões pelo valor do dólar -, a fintech se tornou o banco mais valioso do Brasil.

Em comparação, o Itaú, maior banco privado do país entre os tradicionais, vale R$ 212,85 bilhões pela cotação de fechamento desta quarta na B3. Já o Bradesco tem valor de R$ 187,61 bilhões. O Santander Brasil, por sua vez, tem capitalização de mercado de R$ 124,51 bilhões. De economia mista, o Banco do Brasil vale R$ 93,02 bilhões.

Na oferta precificada ontem, o banco digital arrecadou US$ 2,6 bilhões, considerando o lote principal de papéis. O dinheiro será utilizado para gastos com capital de giro e despesas operacionais, segundo aponta a instituição no prospecto da operação. Fora isso, os recursos levantados poderão ser utilizados em investimentos e aquisições.

A estreia da instituição financeira na Nyse e na B3 ocorrerá oficialmente hoje (9). O código de negociação escolhido foi “NU”. Por aqui, o papel que será negociado será um Brazilian Depositary Receipts (BDR), que é um certificado de uma ação listada fora do país. Isso ocorrerá porque a Bolsa dos Estados Unidos será o mercado primário da fintech.

A avaliação do Nubank reflete a enorme expectativa de crescimento que recai sobre o banco digital, enquanto as instituições financeiras tradicionais avançam num ritmo mais lento. No entanto, a fintech terá de provar daqui para a frente que é capaz de monetizar sua base de 48 milhões de clientes, o que até agora não aconteceu.