Tecnologia e aulas personalizadas são aliadas no futuro da educação, diz Kroton

Em entrevista ao NegNews, Roberto Valério, diretor-presidente da Kroton, contou que o objetivo da empresa sempre foi levar educação para muitas pessoas

Foto: Reprodução

Diante de tantas incertezas, uma certeza nós temos: a tecnologia passou a ser primordial na vida de todas as pessoas. A pandemia de Covid-19 acelerou a transformação digital e, em pouco tempo, nós estávamos trabalhando, consumindo e nos informando pela internet. Assim, o sistema de educação provavelmente também nunca mais será o mesmo.

Os novos rumos buscam soluções eficazes para “mantermos a vida normalmente”. Uma das áreas mais afetadas foi a educação. Afinal, os efeitos da crise tirarou o aluno da sala de aula e o colocou em um universo digital que, para muitos, não havia sido experimentado antes, como no caso das crianças que estão em fase de alfabetização.

Educação expandida

Em entrevista ao NegNews, Roberto Valério, diretor-presidente da Kroton, empresa de ensino superior que faz parte da holding Cogna Educação, contou que o objetivo sempre foi levar educação para muitas pessoas. Não só nos cursos superiores, mas também em cursos técnicos e livres. Para ele, a educação à distância é fundamental para isso.

Se for por celular, melhor ainda, afirmou. Em julho, a Kroton se associou à Tim, com mais de 50 milhões de usuários, para lançar a Ampli, sua frente de negócios dedicada a cursos para o smartphone. Segundo o executivo, a empresa é pioneira em desenvolver um formato totalmente adaptado e personalizado para a tela pequena.

Tecnologia sofisticada

Valério explicou que está buscando tecnologias sofisticadas para poder identificar a performance do aluno e, com base no seu desempenho, sugerir materiais adicionais, como um podcast ou um vídeo, por exemplo. Dessa maneira, a empresa pretende evitar que os estudantes desistam no meio do caminho, que é um dos maiores desafios da EAD.

O executivo esclareceu que o crescimento acelerado dos smarthphones e da internet banda larga permitiu que a tendência fosse se expandindo. Segundo ele, a tecnologia já estava posta, só faltava um impulso – e então entra a pandemia. Valério acredita que, a partir de agora, a tendência deve se aprimorar ainda mais e se tornar cada vez mais presente.