Pesquisadores norte-americanos desenvolvem câmera do tamanho de um grão de sal

As fotos têm qualidade equivalente a de câmeras convencionais até 500 mil vezes maiores do que o produto desenvolvido

Foto: Reprodução

Pesquisadores da Universidade de Princeton e da Universidade de Washington, nos Estados Unidos, desenvolveram uma câmera ultracompacta do tamanho de um grão de sal grosso. As fotos têm qualidade equivalente a de câmeras convencionais até 500 mil vezes maiores do que o produto desenvolvido, de acordo com um artigo publicado na revista científica Nature, relataram os pesquisadores à revista Nature Communications.

Habilitado por um design conjunto de hardware da câmera e processamento computacional, o sistema pode possibilitar exames de imagem menos invasivos do que aqueles realizados atualmente a a câmera poderia fazer endoscopias com robôs médicos, por exemplo. Também seria possível instalar uma série de microcâmeras em superfícies inteiras para tornar objetos capazes de se guiarem sozinhos.

Metassuperfícies

A minicâmera consegue produzir imagens nítidas e coloridas mesmo sendo extremamente pequena, a partir de suas metassuperfícies feitas de nitreto de silício, que tem um milímetro de largura – diferente das convencionais, que usam lentes de vidro ou plástico.

Essas metassuperfícies são compostas de 1,6 milhão de pinos cilíndricos que funcionam como uma espécie de antenas ópticas que fornecem os sinais corretos, a partir da interação com a luz, para que as fotografias sejam tiradas. Os cientistas testaram a invenção a partir de comparação com outros equipamentos já existentes.

O coautor do estudo James Whitehead, doutorando na Universidade de Washington, que fabricou as metassuperfícies, explicou que o material é compatível com os métodos de fabricação de semicondutores padrão usados ​​para chips de computador, o que significa que um determinado projeto de metassuperfície poderia ser facilmente produzido em massa a um custo menor do que as lentes em câmeras convencionais.

Combinação de tecnologias

A criação se deu com uma combinação de duas tecnologias: no hardware, foi utilizado um processo de fabricação com metassuperfície – um plano cheio de microantenas capazes de manipular a luz, que pode ser produzido de forma similar a de chips de computador.

Enquanto no campo do software, algoritmos de aprendizado de máquina (machine learning) otimizam os dados recebidos para formar a imagem com alta qualidade. A qualidade da minicâmera é até mesmo melhor que as dos produtos da mesma categoria.