Porto do Itaqui se prepara para receber terminal de gás natural liquefeito

A iniciativa acontece por meio da criação de uma joint venture entre Eneva e a administradora de investimentos Servtec

Foto: Reprodução

O Porto do Itaqui deve receber um terminal GNL (gás natural liquefeito). A iniciativa nasceu da parceria entre a Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc), a Eneva, além de contar com o apoio do Governo do Maranhão. Não há informações ainda sobre a data da instalação.

Antes de anunciar a entrada na parceria, a Eneva já havia confirmado a assinatura de um acordo de cooperação com a Servtec Investimentos e Participações para avaliação de desenvolvimento de um terminal de gás natural liquefeito. A ideia é que a união crie uma joint venture, nesta, a Eneva teria 51% do total de ações e a Servtec ficará com os 49%.

Oferta de gás

De acordo com informação divulgada por meio de nota pela Eneva, a decisão final de investimento no terminal está condicionada à conclusão das avaliações e à obtenção das devidas licenças e autorizações para a implantação do projeto. Simplício Araújo, secretário da Seinc observa que segue atuando juntamente a Eneva objetivando o aumento da oferta de gás no Maranhão.

Além disso, ele pontua que “ao longo de sua gestão, tem realizado importantes diálogos com a Eneva, sempre pensando na expansão da cadeia produtiva do gás no estado”.

Exclusividade no acordo

Até o fim de dezembro de 2022, a Eneva possui total exclusividade no acordo, para que desenvolva, gerencie e explore o terminal de GNL em conjunto com a Servtec.