Conheça as mudanças ocorridas com integração do open banking ao Pix

Entram na lista e-commerce, plataformas de entregas de comida e de transporte

Foto: Reprodução

Passou a valer, desde o final de outubro, a 3° fase de implementação do open banking, sistema de compartilhamento de dados financeiros supervisionado pelo Banco Central.

Desta vez, o que chama atenção é a opção de pagamentos não apenas por aplicativos dos bancos, mas em qualquer outro, como os de varejistas ou redes sociais.

Para acelerar o processo, os dados dos usuários podem ser ou não salvos no site da empresa, fica a caráter do usuário, com isso, facilita na hora de realizar novas compras, descartando, se desejável, a leitura de QR Corde ou recadastramento de dados para finalizar a transação.

Participantes

Usando o PIX nos serviços de iniciação de transações de pagamento, não é necessário usar o app para quitar contas, por exemplo. Entram na lista e-commerce, plataformas de entregas de comida e de transporte. É possível saber quais instituições são participantes do Open Banking no site do Banco Central.

De acordo com o BC, o acesso a serviços financeiros de forma mais fácil, célere e por meio de canais mais convenientes para o cliente, preservando a segurança do processo. Vale relembrar que para qualquer compartilhamento, é obrigatória a autorização do usuário, processo que o BC chama de “consentimento”.

Propostas de crédito

A 3ª fase vem acompanhada de encaminhamento de proposta de operação de crédito entre instituições financeiras. Por meio de processos eletrônicos, os usuários recebem a permissão de solicitar propostas de crédito, como empréstimos e financiamentos a várias instituições ao mesmo tempo.

Com a fase três implementada, ficará mais fácil comparar taxas, prazos e outras condições de crédito. Está prevista para o próximo ano a modalidade de encaminhamento de crédito.