Metrô de Moscou terá sistema de pagamento em reconhecimento facial

O departamento de transporte afirmou que o uso dessas tecnologias no pagamento será opcional e que os dados dos usuários permanecerão seguros

Foto: Reprodução

Moscou, capital da Rússia, lançou, nesta sexta-feira (15), um sistema de pagamento por reconhecimento facial no metrô, o exemplo mais recente do desenvolvimento rápido – e polêmico para alguns – desta tecnologia no país. Os usuários do novo sistema deverão enviar uma foto do rosto, vinculando-a a sua conta bancária e de transporte.

Nada de cartão

Para utilizar o metrô, os cadastrados precisam apenas olhar para a câmera e girar a catraca. O chefe do departamento de transporte da capital, Maxim Liksutov, afirmou que o Face Pay, como o sistema é chamado, será opcional e outras formas de pagamento continuarão em uso. Ele espera que entre 10% e 15% usem o sistema com regularidade.

O sistema deve reduzir o tempo de espera na enorme rede de metrô de Moscou, uma das mais movimentadas da Europa. As autoridades prometeram que os dados coletados mediante o reconhecimento facial estarão criptografados de forma segura e que a câmera da catraca vai ler uma chave biométrica e não uma imagem do rosto da pessoa.

Segurança digital

Diante do anúncio, grupos de direito digital ressaltaram que o sistema baseado em reconhecimento facial pode minar a privacidade e os direitos humanos. Além disso, as tecnologias podem servir a propósitos de vigilância em massa.

No Brasil, a capital de São Paulo tinha um plano similar nas estações. No entanto, o projeto de lei foi vetado pelo governador do estado, João Dória, após aprovação da Assembleia Legislativa. A medida sofreu duras críticas de organizações, como Artigo 19 e Idec que argumentaram o descumprimento da Lei Geral de Proteção de Dados.