Empresários maranhenses participam da apresentação do Instituto Amazônia+21

O encontro foi uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA)

Foto: Reprodução

Hoje, aconteceu a reunião de lançamento do Instituto Amazônia+21. O encontro foi uma iniciativa da Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA).

A reunião contou com a presença de empresários de diversos setores da indústria no estado, dirigentes da instituição e do setor público. A entidade visa fomentar novos negócios e atrair grandes empresas para investir e fazer parcerias com negócios sustentáveis da região da Amazônia Legal.

Oito federações

A entidade foi criada pela FIEMA com mais oito federações do estado que integram a Amazônia Legal, além de contar com apoio da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

O presidente da Federação das Indústrias do Estado de Rondônia (FIERO), Marcelo Tomé foi quem esteve à frente da apresentação do Instituição Amazônia+21.

Segundo Thomé, empresas do mundo todo procuram negócios sustentáveis e as melhores oportunidades estão na região amazônica, por isso, foi necessário tomar a iniciativa, oferecer possibilidades e buscar conectar investidores com empresas locais e empreendimentos sustentáveis já instalados na Amazônia para realizar o nosso enorme potencial social, ambiental e econômico.

Impulsionar negócios

Edilson Baldez, presidente da FIEMA, conta o instituto é uma grande oportunidade para impulsionar negócios no estado. O Instituto Amazônia+21 traz uma perspectiva inovadora para viabilizar projetos voltados ao desenvolvimento sustentável no estado, conectando os empresários do Maranhão a investidores globais.

Além dos pontos apresentados acima, Thomé cita os processos de pesquisa, desenvolvimento e inovação na Amazônia é outro compromisso do Instituto Amazônia+21.

Novo ciclo econômico

Ele ressalta ainda que estes permitirão um novo ciclo econômico de capacitação de pessoas, melhorando o nível de competência profissional da população amazônica com foco na retenção desses talentos nas suas localidades. Desenvolver capital humano e reter esse público na Amazônia é outro objetivo que será atingido.