Kuwait vai transformar o maior “cemitério de pneus” do mundo numa cidade verde

Antes de ser totalmente esvaziado este ano, o espaço continha mais de 40 milhões de pneus

Foto: Reprodução

Com o dano causado pelo aquecimento global às economias de todo o mundo, 216 milhões de pessoas podem migrar de seus locais de origem até 2050, segundo estudos do Banco Mundial. Para mitigar o problema, no Kuwait, o governo local irá transformar um aterro de pneus usados em uma cidade verde, com 25 mil residências.

Antes de ser totalmente esvaziado este ano, o espaço continha mais de 40 milhões de pneus e foi classificado pelas autoridades como o maior “cemitério de pneus” do mundo. Após 17 anos e três incêndios de envergadura, entre 2012 e 2020, as autoridades decidiram encerrar o local.

Para limpar a área, a Epsco Global General Trading, que trabalha nas indústrias sustentável e de óleo e gás, vai instalar um centro de reciclagem. Lá, os resíduos serão coletados e posteriormente, triturados e misturados a outros materiais, como telhas e pisos de playground.

Sheikh Abdullah Al-Sabah, diretor-geral da Autoridade Pública Ambiental, disse que o Kuwait planeja reciclar todos os pneus e evitar a necessidade de outro aterro. Segundo ele, já existe uma fábrica hoje que os reaproveita, mas ainda buscam por outro fabricante para ajudar a acabar com o problema de forma mais rápida.

A expectativa é que o espaço recicle cerca de três milhões de pneus ao ano e exporte materiais para outros países do Golfo Pérsico. A iniciativa quer que a cidade se torne um hub verde com foco em sustentabilidade e turismo. O investimento estimado é de € 3,3 bilhões (cerca de R$ 20,4 bilhões) durante 30 anos.