FIEMA lança estudo setorial com destaque às indústrias de bebidas no MA

O estudo foi realizado pelo coordenador de Ações Estratégicas da FIEMA, José Henrique Polary

Foto: Reprodução

No Maranhão, a indústria de bebida é um indicador poderoso na economia brasileira, diante da importância e relevância do setor, a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), por meio da Coordenadoria de Ações Estratégicas, lança o estudo “Indústria de bebidas – estudo setorial“.

De acordo com o coordenador de Ações Estratégicas da FIEMA e responsável pelos estudos, José Henrique Polary, a perspectiva é que esses estudos possam servir de subsídio na formulação de políticas públicas, de natureza econômica, social ou de infraestrutura e orientar a elaboração de planos de ação de entidade que compõem o Sistema FIEMA em médio e longo prazo.

O estudo avalia a importância do setor em escalas de produção, níveis tecnológicos e empresas de todos os tamanhos, além de avaliar as classes de consumidores. Baseado nele, é grande a restrição de grandes empresas, muitas vezes formadas por fusões, aquisições e licenciamentos de marcas entre companhias com atuação mundial.

PIB Industrial do Maranhão

Segundo dados do IBGE, em 2018, a indústria de bebidas é responsável por pelo menos 2,8% do PIB Industrial do Maranhão. Em ampla escala, o segmento vem se comportando bem em todo o país, aproveitando oportunidades e promovendo a diversificação de seus produtos, como, por exemplo, o aguardente, subestimado em muitas estatísticas oficiais.

Considerando o segmento de bebidas, os refrigerantes e cervejas representam 75% das vendas no país. O IBGE apurou que em 2018, a Indústria de Transformação, no Brasil, possuía 407.579 unidades locais industriais. Entre elas, 4.937 dedicavam-se à fabricação de bebidas.

As indústrias de bebidas somam apenas 1,2% de todas as indústrias de transformação, com participação maior das fabricantes de bebidas alcoólicas (3.225 unidades). Entre estas, sobressai o número de unidades produtoras de aguardentes e outras bebidas destiladas, com 26,3% delas.

Território nacional

Em 2018, o estado registrava 59 unidades fabricantes de bebidas, o que representa 6,1% da região Nordeste e 19,6% do território nacional. No Maranhão, 39 dessas unidades foram classificadas como estabelecimento industrial com 5 ou mais pessoas ocupadas.

Entre os anos de 2010 a 2018, o percentual da região Nordeste era considerado baixo (13,4%), enquanto o segmento no estado crescia 78,8%. Já o o conjunto da indústria de transformação recuou, em número de estabelecimentos, 4,7% no estado e 12,5% no Nordeste, no mesmo período.

O estudo aponta a fabricação de de aguardentes e outras bebidas destiladas com destaque no Maranhão, o estado possui 13 empresas, e em segundo lugar, a fabricação de malte, cervejas e chopes com 7 unidades.

Bebidas não alcoólicas

No segmento de bebidas não alcoólicas, são 31 estabelecimentos dedicados à fabricação de águas envasadas e 8 unidades para a fabricação de refrigerantes e outras bebidas não alcoólicas. Vale destacar que 44,4% das unidades concentradas em São Luís, Imperatriz e São José de Ribamar, são fabricantes de bebidas não alcoólicas.