Uber exclui motoristas por cancelamento constante de viagens

Segundo a associação, motoristas apenados equivalem a 1% da frota atuante no país

Foto: Reprodução

A Uber está sendo acusada de excluir mais de 15 mil motoristas de aplicativos da plataforma – 1% da base de motoristas do país. Segundo a Associação dos Motoristas de Aplicativos de São Paulo (Amasp), o motivo apontado seria o excesso de cancelamentos de viagens.

Condutores passaram a selecionar corridas, principalmente, em virtude do aumento do preço do combustível – do gasto diário de um motorista, a gasolina representa entre 40% e 50%. Contudo, em nota oficial, a companhia nega a quantia e fala que excluiu apenas 1,6 mil.

A Uber esclareceu que são cerca de um milhão de motoristas e entregadores parceiros cadastrados na plataforma da Uber no Brasil, e apenas cerca de 0,16% apresenta comportamentos que prejudicam intencionalmente o funcionamento da plataforma.

O comportamento, segundo a empresa, atrapalha outros motoristas e usuários que apenas desejam gerar renda ou se deslocar. Ao retirar um motorista da plataforma, a Uber envia uma mensagem ao trabalhador e restringe o acesso para novas corridas.

Em entrevista ao G1, Eduardo Lima de Souza, presidente da Amasp, afirmou que se tratou de uma exclusão sumária, o que deixou os motoristas em “situação complicada”. Nos termos de uso da plataforma, não há proibição à prática do cancelamento, completou.