Conecte SUS: passaporte da vacina pode ser emitido gratuitamente e on-line

Iniciativa tem como objetivo estimular a imunização contra a Covid-19 de parte da população que ainda não buscou os postos de vacinação

Foto: Reprodução

Quem já se vacinou contra a Covid-19 já pode emitir o chamado “Passaporte da Vacina” no Conecte SUS, aplicativo do Ministério da Saúde. O documento digital tem como objetivo atestar a vacinação do público em eventos com a presença de 500 pessoas ou mais.

A aba do passaporte dentro do aplicativo dá acesso ao comprovante de vacinação contra a Covid-19 e a um QR Code. Com esse código, os organizadores de eventos poderão checar o registro de vacinas do usuário, que deverá ter ao menos uma dose para ingressar nos espaços.

Como cadastrar

  1. Baixe o aplicativo, faça o cadastro com seus dados e senha. 
  2. Após o cadastro, é possível acessar o “Passaporte da Vacina” pelo ícone laranja no menu principal. 
  3. O passaporte terá os dados de cadastro e indicará se a pessoa tomou a primeira dose, completou o esquema vacinal ou recebeu a dose única, além de gerar um código QR Code. 
  4. O QR Code será usado em eventos com a presença de 500 pessoas ou mais.

Exigência da comprovação

A comprovação já passou a ser cobrada, por exemplo, em espaços públicos na cidade do Rio de Janeiro e em alguns estabelecimentos de São Paulo. Por todo o país, há municípios que passaram a exigir o documento para determinados locais ou tipos de evento.

Vale lembrar que a comprovação da condição vacinal também poderá ser feita por registro físico, com apresentação do comprovante de vacinação. No aplicativo, segundo o Ministério da Saúde, as informações são enviadas por estados e municípios pela Rede Nacional de Dados em Saúde (RNDS) em até 72 horas.

Segunda dose

Uma pesquisa da Confederação Nacional de Municípios (CNM) aponta que quatro em cada dez cidades brasileiras apresentam dificuldades em completar o esquema vacinal pelo não comparecimento na data definida nos postos de saúde para a aplicação da segunda dose.

Segundo estimativas do Ministério da Saúde, mais de 8,5 milhões de brasileiros deixaram de tomar a segunda dose. Entre os estados com o maior número de faltosos estão São Paulo, com 1,69 milhão; Rio de Janeiro, com 1,06 milhão; e Minas Gerais, com 1,02 milhão.

Alternativa benéfica

Para o infectologista Álvaro Furtado, do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo (USP), o desenvolvimento do passaporte da vacina pode ser benéfica diante da dificuldade de promover uma flexibilização mais lenta das medidas de restrição.

Segundo ele, do ponto de vista de transmissão, ao colocar num ambiente pessoas com duas doses de vacina, a probabilidade dessa pessoa estar doente ou pegar a doença é menor do que alguém que não tenha tomado nenhuma vacina.