Menos de 20% dos profissionais têm auxílio da empresa para pagar luz, internet e telefone no home office

Entre os profissionais ouvidos, 36% disseram ter recebido treinamento e acesso a ferramentas digitais para otimizar o trabalho em equipe

Foto: Reprodução

Pesquisa do site de empregos Indeed mostra que a maioria dos entrevistados que estão trabalhando em home office não recebem ajuda de custo das empresas para os gastos com energia, internet e telefone.

Por outro lado, os profissionais citam a economia em transporte, alimentação fora de casa e outros gastos ligados ao deslocamento como vantagens de trabalhar remotamente. O home office requer uma estrutura que não tem sido levada em conta pelos empregadores.

Entre os profissionais ouvidos, apenas 36% disseram ter recebido treinamento e acesso a ferramentas digitais para otimizar o trabalho em equipe e 35% receberam da empresa o equipamento necessário para fazer seu trabalho adequadamente.

Mas o problema mais comum parece estar nos custos do home office, que não estão sendo ressarcidos pelas empresas. Apenas 11% disseram que o empregador paga o custo proporcional da eletricidade e 18% recebem o custo dos serviços de telecomunicações, como internet e telefone.

Quando perguntados sobre as principais vantagens do home office, 60% citaram a economia em transporte, alimentação fora de casa e outros gastos ligados ao deslocamento. Uma parcela pequena, de 8%, apontou ainda o fato de não precisar socializar com colegas de trabalho.

As outras vantagens mais citadas são um maior equilíbrio entre vida pessoal e profissional (55%), não precisar pegar transporte público ou congestionamentos (54%) e ter mais tempo para tarefas domésticas e familiares (47%).