Virgin Hyperloop quer construir ‘trem-bala’ que usa cápsulas que superam 1.000 km/h

Empresa planeja criar sua versão de um modelo de transporte que permite viagens rápidas entre cidades

Foto: Divulgação

Imagine viajar de São Paulo para o Rio de Janeiro em apenas 29 minutos. A empresa norte-americana Virgin Hyperloop quer permitir deslocamentos com tamanha velocidade através de seu sistema de transporte. Trata-se de um “trem-bala” que se locomove sem atrito com os trilhos, levitando em túneis de vácuo.

O Hyperloop funciona com base na diferença de pressão gerada pelo túnel a vácuo. Durante o percurso, o ar vai sendo retirado por bombas de sucção, fazendo com que a cápsula seja puxada, em vez de impulsionada. Em vez de trilhos convencionais, ela é levitada e guiada por campos eletromagnéticos.

Pouca energia

Sem atrito com a superfície nem a resistência do ar, poderia chegar a 1.000 quilômetros por hora, usando pouca energia, praticamente apenas para suprir as bombas de vácuo. Apesar de comportar poucos passageiros, seria possível lançar uma cápsula atrás da outra, em intervalos pequenos, como em um parque de diversões.

A Virgin Hyperloop foi criada em 2014 como Hyperloop Technologies. Ela adotou o nome atual em 2020, três anos após receber os primeiros investimentos da empresa do bilionário Richard Branson – o mesmo que viajou ao espaço com um foguete de sua outra empresa.

Teste com passageiros

Após testes sem pessoas em sua versão do Hyperloop, a Virgin concluiu a primeira experiência com passageiros em novembro de 2020. Na ocasião, o sistema foi testado em um trecho de 500 metros e atingiu 172 km/h. A empresa afirmou que a pista curta impediu as o pico de velocidade esperado. 

Ainda não há uma expectativa de quando, nem onde a Virgin realizará novos testes com passageiros de seu sistema de alta velocidade. A tendência é que a empresa acelere o projeto para transformá-lo em algo real. Isso porque o sistema também tem recebido investimentos em projetos da SpaceX, de Elon Musk