Startups brasileiras levantaram US$ 772 milhões em investimento no mês de agosto

Com isso, o Brasil chega a US$ 6,6 bilhões levantados em todo o ano de 2021

Foto: Reprodução

As startups brasileiras levantaram US$ 772 milhões em investimentos ao longo do mês de agosto. No total, foram 56 negócios fechados ao longo do mês passado – sem o aporte levantado pela argentina Nuvemshop e o investimento de R$ 1 bilhão na Movile, que não foram considerados.

Com isso, o Brasil chega a US$ 6,6 bilhões levantados em 2021. No ano passado, o ecossistema captou US$ 3,55 bilhões. Os dados são do Inside Venture Capital Report, relatório produzido pelo Distrito Dataminer, braço de inteligência da plataforma de inovação aberta Distrito.

O volume já é 86% superior a todo o ano de 2020. Na comparação mês a mês, agosto de 2021 teve alta de 303% com relação ao mesmo período do ano passado. O número de acordos é 24% maior. Gustavo Gierun, managing partner do Distrito, disse que o mercado continua aquecido e acredita que seguirá assim por alguns anos.

O relatório também apontou que a expectativa é encerrar o ano com algo entre US$ 8 bilhões e US$ 10 bilhões investidos. Entre os principais setores do ano, destacam-se fintech, com US$ 2,6 investidos; retailtech, US$ 630 milhões; edtech, US$ 294 milhões; healthtech, US$ 222 milhões; e martech, com US$ 49 milhões. 

Os principais aportes do mês foram a Série E do QuintoAndar, no valor de US$ 250 milhões; a Série C da Omie, de US$ 116 milhões; e o aporte na Unico, de US$ 120 milhões, que a elevou ao patamar de unicórnio. O crescimento das megarodadas mostra o aumento do interesse de fundos estrangeiros nas empresas brasileiras, disse Gierun.

Outro ponto do relatório foi a evolução do tíquete-médio dos cheques em startups, comparando o período de 2012 a 2020 com o ano de 2021. A mediana de aportes seed foi de US$ 0,65 milhão para US$ 0,84; Série A de US$ 3,3 milhões para US$ 5,5 milhões, Série B de US$ 11,1 milhões para US$ 19,2 milhões, e Série C de US$ 24,8 milhões para US$ 52 milhões.