Brasil entra na lista dos 15 maiores em energia solar

Mercado defende que marca pode ser dobrada com novo marco da geração distribuída

Foto: Reprodução

O Brasil ultrapassou a marca histórica de 10 gigawatts (GW) de potência operacional da fonte solar fotovoltaica, em usinas de grande porte e em pequenos e médios sistemas instalados em telhados, fachadas e terrenos, informou a Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar).

O volume representa mais de 70% da capacidade instalada da hidrelétrica de Itaipu, a segunda maior do mundo. Segundo a Absolar, a marca é resultado de investimentos superiores a R$ 52,7 bilhões desde 2012 e a expectativa do mercado é que os aportes continuem em alta.

Retomada do crescimento econômico

Segundo a associação, o feito reforça o papel estratégico da tecnologia no suprimento de eletricidade no País, fundamental para a retomada do crescimento econômico nacional. Além disso, o marco garante aos atuais projetos descontos no uso de tarifas da rede de distribuição de energia até 2045.

Com o crescimento da capacidade instalada, a geração de energia solar registrou dois recordes de geração em julho. Um deles, de geração instantânea, foi batido no dia 19, com um pico de 2.211 MW. O outro foi de geração média em um dia, com 682 MW médios no dia 30.

14º maior do mundo

Com o avanço, o Brasil entrou para o seleto grupo de países com maior capacidade instalada de energia solar acima de 10 gigawatts (GW). O país aparece na 14ª posição e é o único da América Latina no top 15 do ranking elaborado pela Agência Internacional parta Energia Renováveis (Irena).

Confira o ranking:

  1. China: 253,8 MW
  2. EUA: 73,8 MW
  3. Japão: 68,6 MW
  4. Alemanha: 53,7 MW
  5. Índia: 38,9 MW
  6. Itália: 21,5 MW
  7. Austrália: 17,3 MW
  8. Vietnã: 16,5 MW
  9. Coreia do Sul: 13,5 MW
  10. Reino Unido: 13,4 MW
  11. Espanha: 11,8 MW
  12. França: 11,7 MW
  13. Países Baixos: 10,2 MW
  14. Brasil: 10 MW
  15. Ucrânia: 7,3 MW