Lupo protocola pedido de IPO na CVM

O objetivo com a oferta é acelerar o crescimento orgânico e inorgânico da fabricante de roupas íntimas, meias e artigos esportivos

Foto: Reprodução

A Lupo, fabricante de meias e artigos esportivos, protocolou nesta quarta-feira (18) um pedido de IPO (Oferta Pública Inicial, da sigla em inglês) na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). Ainda não há detalhes sobre a quantidade ou preço das ações, mas já se sabe que a oferta será mista.

Isso significa que uma parcela primária é destinada ao caixa da empresa e uma secundária para os acionistas vendedores. A empresa contratou o Banco Itaú BBA para liderar a operação e conta ainda com XP Investimentos como agente estabilizador e Bank of America Merrill Lynch e BTG Pactual na coordenação.

O objetivo é acelerar o crescimento orgânico da companhia, com investimentos em tecnologia e distribuição, e o inorgânico, por meio de aquisições de outras empresas e negócios. A marca teve receita consolidada líquida de R$ 313 milhões no segundo trimestre, contra R$ 76 milhões no mesmo período de 2020.

Expansão

Criada há um século como Fábrica de Meias Araraquara para produção de meias masculinas, a Lupo foi gradualmente expandindo a prateleira para incluir meias femininas, roupa íntima, artigos esportivos e, no ano passado, máscaras de proteção, diante da pandemia da Covid-19. 

No prospecto preliminar da oferta, a Lupo diz que tem uma rede 39 mil pontos de vendas, 202 lojas de varejo e 481 franquias no país. Além disso, exporta para 23 países e fabrica produtos para outras marcas, como Nike e Adidas.