Vendas no Dia dos Pais devem crescer 32% em relação ao ano passado

De acordo com pesquisas, a perspectiva é que o crescimento do número de pessoas vacinadas irá oxigenar a comemoração da data especial

Foto: Reprodução

Com o avanço da campanha de vacinação contra o coronavírus, com a primeira dose aplicada em quase 50% da população, cresce a expectativa dos pequenos negócios pela retomada do nível de faturamento anterior ao início da pandemia. O Dia dos Pais, celebrado no dia 8 deste mês, promete aquecer o varejo.

Segundo pesquisa da Associação Brasileira de Shopping Centers (Abrasce), a estimativa é que ocorra um aumento médio de 32%, em relação às vendas do ano passado, no mesmo período. Esse crescimento corresponde a um faturamento de R$ 870 milhões a mais no caixa das empresas.

A mesma pesquisa mostra que a intenção de presentear a figura paterna também cresceu, assim como o valor dos presentes comprados. O tiket médio aumentou 11,6%, em relação ao ano passado, com expectativa que fique em R$ 192.

Tradicionalmente, os setores que mais movimentam produtos e serviços nessa temporada são os de artigos esportivos, eletrônicos, calçados e alimentos. A analista de competitividade do Sebrae, Verônica Couto, chama a atenção para a importância de investir nas formas presenciais e on-line de venda.

O comportamento de compra on-line se intensificou enormemente com a pandemia, aponta a executiva. Ela explica que, para a compra de produtos eletrônicos, já havia uma boa familiaridade e aceitação por parte do consumidor. Agora, essa prática já está consolidada em praticamente todos os segmentos.

Couto afirma que as pessoas compram desde itens para o vestuário até o jantar para o Dia dos Pais. Por isso, é importante que o dono de micro e pequenos negócios se prepare para o atendimento presencial e on-line. Segundo ela, todo o relacionamento que foi construído durante a pandemia, pode ser usado agora com aquelas pessoas que já se sentem mais encorajadas a sair de casa.

A analista reforça a necessidade constante do investimento nos meios digitais para favorecer o processo de atração e prospecção de vendas. Ela frisa que é preciso estar atento às novas possibilidades de venda e relacionamento abertas pelas redes sociais e que as empresas precisam aprender a utilizar o marketing digital como ferramenta de conexão com seus consumidores.