Criptomoeda da CBF se esgota em 30 minutos e arrecada R$ 90 milhões

A pré-venda ocorreu por meio da plataforma de negociação de criptomoedas Bitci

Foto: Reprodução

Em parceria com a empresa turca Bitci, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vendeu 30 milhões de tokens de um criptoativo na última terça-feira (27). Em menos de meia hora, 13.658 pessoas compraram a moeda digital da CBF ao preço de 0,50 euros cada.

O movimento gerou uma arrecadação de 15 milhões de euros (R$ 90 milhões) aos cofres da entidade esportiva. cada. Há ainda mais 70 milhões de tokens para serem vendidos, em negociação pública prevista para ocorrer no dia 25 de agosto. A pré-venda ocorreu por meio da plataforma de negociação de criptomoedas Bitci.

Incluída na categoria de “utility tokens”, ativos que podem ser trocados por algum tipo de benefício exclusivo, a moeda da CBF pode ser oferecida aos fãs. Os donos desses ativos podem, por exemplo, participar de eventos privados, comprar produtos exclusivos, participar de sorteios, etc.

Tokens de torcedor, que vêm se tornando populares na indústria do esporte, são expressos como ativos que fornecem a oportunidade de aumentar o contato digital e presencial entre equipes e fãs, que passam a ter voz em certas decisões e se beneficiar de vantagens e mais proximidade com marcas e atletas.