Ataques por vírus de resgate batem recorde na primeira metade de 2021

Levantamento da empresa de cibersegurança SonicWall mostra que investidas com vírus do tipo ransonware estão cada vez mais comuns

Foto: Reprodução

O número de ataques com vírus de resgate, também conhecidos como ransomware, bateu recorde na primeira metade de 2021, segundo um relatório da empresa de cibersegurança SonicWall divulgado nesta quinta-feira (29).

Foram 304,7 milhões de investidas detectadas pela companhia entre janeiro e junho de 2021. A quantia é maior do que o total registrado durante todo 2020, quando foram computados 304,6 milhões de ataques.

O ransomware é um tipo de ameaça cibernética que impede o acesso às informações armazenadas em um dispositivo por meio da criptografia – um embaralhamento de dados, que exige uma chave para desbloquear os dados.

Com isso, os cibercriminosos pretendem forçar a vítima a pagar para obter a tal chave e recuperar o acesso ao sistema. A divisão da JBS nos Estados Unidos foi um dos alvos recentes desse tipo de ataque.

O Brasil é o 5º maior alvo dessa ameaça, segundo o levantamento – foram mais de 9 milhões de ataques. O líder são os Estados Unidos, seguido de Reino Unido, Alemanha e África do Sul. A SonicWall aponta que o aumento desses ataques está relacionado ao fato de que os hackers têm tido retorno financeiro.

Com a sofisticação dos ataques, os criminosos passaram a extorquir empresas ao ameaçar publicar dados e informações sigilosas em fóruns na internet. Esses valores se somam à cobrança pela chave que desbloqueia os arquivos.