Google exige que todos os funcionários tomem vacina contra a Covid-19

A exigência é uma das medidas tomadas pela gigante da tecnologia para tentar conter a ameaça do avanço da variante Delta do novo coronavírus

Foto: Reprodução

Google vai exigir que todos os seus funcionários que voltarem ao trabalho presencial estejam vacinados assim que seus escritórios forem totalmente reabertos. A notícia foi anunciada pelo CEO da empresa, Sundar Pichai, que enviou um e-mail interno para os mais de 140 mil funcionários globais.

A exigência é uma das medidas tomadas pela gigante da tecnologia para tentar conter a ameaça do avanço da variante Delta do novo coronavírus, altamente contagiosa. A empresa também decidiu adiar de setembro para outubro a reabertura de seus escritórios, a exemplo do que fez a Apple e outras grandes empresas americanas.

Segundo Pichai, a obrigação da vacina será ajustada e acordo com legislação local de cada país em que o Google opera e que haverá exceções, baseadas em razões médicas, por exemplo. Ele adicionou que a obrigação passaria a valer para os escritórios nos EUA nas próximas semanas e em outros países nos próximos meses.

O CEO disse esperar que a exigência da vacinação dê mais segurança aos seus mais de 135 mil funcionários, em mais de uma dúzia de estados americanos e 50 países, no processo de reabertura dos escritórios. Para ele, ser vacinado é uma das maneiras mais importantes de conter o novo coronavírus.

A decisão vem na esteira de movimentos semelhantes que afetam funcionários do governo na Califórnia e em Nova York, como parte das medidas intensificadas nos EUA para combater a variante. O presidente dos EUA, Joe Biden, cogita fazer a mesma exigência a todos os funcionários públicos federais.