Olimpíadas 2021: entenda como funcionou show de 1.824 drones na abertura

Cada um dos drones têm 4 hélices, e usam energia elétrica para se movimentar

Foto: Reprodução

Um dos pontos altos da cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio, na última sexta-feira (23), foi o show protagonizado por 1.824 drones no céu da capital japonesa. Ao som da música “Imagine”, de John Lennon e Yoko Ono, eles formaram a imagem do globo terrestre no céu de Tóquio.

A Olimpíada “mais tecnológica de todos os tempos”, segundo os próprios organizadores do evento, não poupou na inovação durante a cerimônia de abertura. Os drones, com luzes de LED, fizeram essa coreografia coordenada. Cada um dos drones têm 4 hélices, e usam energia elétrica para se movimentar.

Formações dos desenhos

Primeiro, a apresentação em 3D é criada a partir de um programa de computador. Com esse software, a equipe gera uma prévia dos movimentos e garante que os equipamentos não vão bater uns nos outros. Os drones calculam a trajetória necessária para fazer aquelas imagens, como a do globo, com base nesses comandos.

Um único computador pode ser responsável por controlar até milhares de drones, afirmou a fabricante dos aparelhos, a Intel. A empresa diz ainda que estuda as áreas seguras para o voo, a posição dos espectadores e os melhores ângulos de visão para o show. Apresentações como essa podem custar mais de US$ 300 mil.

Apesar do número de equipamentos usados na abertura das Olimpíadas, o recorde atual de voo simultâneo com drones é da marca de carros Genesis, ligada à Hyundai – foram empregados 3.281 aparelhos na celebração da chegada da empresa à China, em 29 de março deste ano.

Confira a apresentação: