Caixa Econômica vai abrir 268 agências físicas até o fim de 2021

De acordo com o banco, de todas as 168 unidades de varejo, 70 serão abertas no Nordeste

Foto: Reprodução

Caixa Econômica Federal anunciou que pretende abrir 268 agências até o fim do ano, ante a previsão de 250 unidades, conforme dados do Banco Central (BC). Em contrapartida, BradescoSantander e Banco do Brasil fecharam 792 agências no primeiro semestre. Já o Itaú Unibanco, que reduziu 600 agências desde 2019, abriu três unidades.

Novas unidades

Desse total, 168 unidades abertas pela Caixa Econômica serão de varejo – voltada para todos os clientes – e 100 serão ao agronegócio. Das 168 unidades de varejo, no Nordeste, 24 serão abertas no Maranhão, 17 no Ceará, 11 em Pernambuco, 8 na Paraíba, 4 na Bahia, 2 no Piauí, 2 no Rio Grande do Norte, 1 em Sergipe e 1 em Alagoas. No Norte, serão 28 no Pará, 14 no Amazonas, 4 em Rondônia e 2 no Amapá.

No Sudeste, serão 13 em São Paulo, 7 em Minas Gerais, 7 no Rio de Janeiro e 3 no Espírito Santo. No Centro-Oeste, a Caixa abrirá 7 unidades no Mato Grosso, 5 no Mato Grosso do Sul e 1 em Goiás. O Sul receberá quatro unidades de varejo: 2 em Santa Catarina, 1 no Paraná e 1 no Rio Grande do Sul. As unidades voltadas ao agronegócio serão abertas em todos os estados.

Expansão do banco

O presidente do banco, Pedro Guimarães, em entrevista ao Estadão, afirmou que estudos para abrir uma agência são iniciados com nove meses de antecedência. Guimarães afirmou ainda que a atuação digital não alcança todo o público-alvo, sobretudo pelos serviços ofertados pelo banco, como pagamentos de benefícios e empréstimos.

Para reforçar a expansão, o banco irá contratar 10 mil novos colaboradores, entre empregados e terceirizados.  Serão 4 mil empregados, 5,2 mil estagiários e adolescentes aprendizes e cerca de 800 recepcionistas e vigilantes. O banco informou que deve abrir um concurso para 1 mil vagas destinado para pessoas com deficiência (PcD).