Clubhouse dispensa o uso de convites em sua plataforma

Diante das novidades de áudio em outras plataformas, o Clubhouse correu para trazer quem aguardava a oportunidade de se cadastrar na rede social

Foto: Reprodução

Anteriormente, para ter acesso ao Clubhouse era necessário que o usuário tivesse um iPhone ou iPad e também ser convidado por outra pessoa, dificultando o crescimento inicial da plataforma. Contudo, recentemente, o aplicativo ganhou uma versão para Android e, agora, vai dispensar também a necessidade de convites.

De acordo com a rede social, que viu um crescimento explosivo no início deste ano, houve um planejamento para se abrir ao público porque o acesso por meio de convite vinha sendo uma forma de conter os números de usuários. A empresa disse que 10 milhões de pessoas se cadastraram desde o lançamento da versão do aplicativo para Android, em maio.

A plataforma começou a chamar, inclusive, alguns perfis que já haviam realizado cadastro e ainda não haviam sido autorizados pelo aplicativo. Para aqueles que não conhecem o Clubhouse, trata-se de um aplicativo com diversas salas de bate-papo sobre os mais variados assuntos. O usuário pode estar nessas salas para escutar e também participar.

As salas podem chegar a ter 5 mil participantes simultâneos e, até então, não é possível a comunicação via mensagens de texto. O sucesso do Clubhouse chamou a atenção de outras plataformas. O Twitter, por exemplo, disponibilizou no início de março o recurso de áudio “Spaces” para pessoas que usam Android.

Diante da ameaça, a equipe de desenvolvedores correu para trazer quem aguardava a oportunidade de participar das rodas de debate, palestras, podcasts e outros conteúdos da plataforma, a fim de reter público e atrair mais interessados. Agora, resta saber se os ingressantes vão aderir em massa ao sistema ou se é tarde demais para a rede social.