Pressa por carreira e habilidades sociais: essas são principais características da Geração Z

Existe uma série de diferenciais que a Geração Z possui que podem trazer enorme vantagem competitiva para as empresas

Foto: Reprodução

A geração jovem é a mais precoce quando o assunto é trabalho, conhecida popularmente como Geração Z, eles possuem como principal característica a pressa na carreira. O grupo com a faixa etária entre 18 e 26 anos já traz enraizado a importância de desenvolver habilidades sociais para atingir seus objetivos, isso é que mostra uma pesquisa feita pela Heach Recursos Humanos, empresa de recrutamento e seleção. Cerca de 2.120 candidatos responderam a pesquisa.

Entre os entrevistados, 47% mostram bastante interesse em desenvolver habilidades de liderança e assumir um papel estratégico nos próximos cinco anos. Quanto às habilidades sociais, o grupo é representado por 76% dos jovens que pontuam a necessidade de aprimorar a rede de relacionamentos e dominar as ferramentas de trânsito social.

Outro ponto citado por 55% dos entrevistados diz respeito ao senso crítico, para eles, essa é uma característica de extrema importância. Diante disto, é maior o poder crítico analítico para se ter uma visão sistêmica e aumentar a efetividade de atuação. O foco na solução de problemas é representado por 61% dos jovens.

Vantagem competitiva

Elcio Paulo Teixeira, CEO da Heach Recursos Humanos relata que a pesquisa mostrou uma série de diferenciais que a Geração Z possui que podem trazer enorme vantagem competitiva para as empresas. Entendendo isso, é essencial usar esse potencial com uma abordagem customizada para esses jovens.

O CEO lista uma série de características que jovens talentos devem ter em seu perfil, veja abaixo:

  • construir e desenvolver habilidades técnicas, em especial as relacionadas com tecnologia, inovação, uso de softwares;
  • desenvolver as soft skills (capacidades sociocomportamentais) focando em liderança, comunicação, visão sistêmica, solução de problemas e análise crítica;
  • dar ferramentas para o domínio de um novo idioma, o que se faz essencial num mundo cada vez mais globalizado;
  • praticar metodologia de pensamento ágil, criatividade e flexibilidade cognitiva.

Aprender com erros

Para a master coach Andrea Cardoni, errar faz parte do aprendizado e um bom gestor deve monitorar os jovens para que ele possa aprender com os erros e performar cada vez melhor. O bom gestor, inclusive, tem grandes lições de aprendizagem, que envolvem inovação e novas abordagens que os jovens trazem para o negócio.

O tipo de treinamento aplicado para jovens entre 18 e 26 anos é diferente dos métodos ensinados para uma equipe com profissionais mais sólidos no mercado de trabalho.

A psicóloga organizacional Icléia Dórea explica que os trabalhadores da Geração Z, deve se entender que eles ainda não possuem uma base estabelecida, o que torna essencial oferecer treinamentos mais amplos, partindo da base de conhecimento.

Processo

Mesmo diante de uma bagagem não tão recheada de maturidade, é necessário entender que esse é um processo para levar o jovem ao seu melhor.

Teixeira acrescenta que é essencial que o líder esteja de prontidão para dar suporte, pois são jovens que, apesar de terem atitudes excepcionais, precisam contar com o apoio da senioridade dos seus líderes para alcançar patamares elevados de excelência.