iFood anuncia que 100% dos seus pedidos serão neutros em emissão de carbono a partir deste mês

Para compensar previamente as emissões de carbono, o iFood apoiará projetos de preservação na Floresta Amazônica

Foto: Reprodução

A partir deste mês, o iFood tornará 100% dos seus pedidos neutros em emissão de carbono. Para isso, a empresa compensará as emissões antecipadamente, apoiando projetos de preservação ambiental da Floresta Amazônica. O objetivo é neutralizar os impactos causados pela emissão do CO² nas operações de delivery da companhia.

O trabalho será realizado em parceria com a startup Moss, responsável por fazer um inventário das emissões diretas e indiretas da empresa. Dessa forma, o iFood fica sabendo quanto emite de CO² em cada entrega e consegue neutralizá-lo de antemão. 

A expectativa é que, até o fim de 2021, o iFood consiga preservar uma área equivalente a 125 campos de futebol na Floresta Amazônica. Em nota, Gustavo Vitti, vice-presidente de pessoas e soluções sustentáveis do iFood, afirmou que, a partir do dia 1º deste mês, as entregas estarão compensadas antes de chegar na casa dos clientes.

Também a partir deste mês, a seção de “Doação” do aplicativo passará a ter uma opção direcionada às ações de plantio de mudas na Mata Atlântica. Todos os recursos arrecadados serão destinados à SOS Mata Atlântica e revertidos na plantação e manutenção de novas mudas. 

As iniciativas fazem parte do programa iFood Regenera, que concentra as metas ambientais da empresa, anunciado em março deste ano. A longo prazo, a empresa busca zerar a poluição plástica e neutralizar as emissões de CO2 das operações de delivery até 2025. Dentro do programa, a empresa também anunciou a meta de entregar 50% dos pedidos em modais não poluentes até 2025.