Aeroporto de Congonhas testa câmeras de reconhecimento facial

Objetivo é agilizar o embarque de passageiros e facilitar a comprovação de identidade nos aeroportos

Foto: Reprodução

O Aeroporto de Congonhas, na Zona Sul da cidade de São Paulo, está realizando testes de reconhecimento facial no check-in de embarque de dois voos que fazem a ponte aérea com o Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro – o teste também é feito no Santos Dumont. O objetivo do projeto é agilizar o embarque de passageiros e facilitar a comprovação de identidade nos aeroportos.

O projeto Embarque + Seguro, desenvolvido pelo Ministério da Infraestrutura, em parceria com Serpro (Serviço Federal de Processamento de Dados), já foi testado em Florianópolis (SC), Salvador (BA), Belo Horizonte (MG) e Rio de Janeiro. Em cada uma dessas capitais, o projeto contou com a parceria de uma companhia aérea. A nova fase está sendo feita com a Azul.

Como funciona

Nesses testes, os passageiros são convidados a participar no momento do check-in e precisam oficializar o consentimento respondendo uma mensagem enviada ao seu celular pela equipe do projeto. O mesmo dispositivo de mensagem libera acesso aos dados do passageiro, incluindo o CPF e a foto. O procedimento busca atender as exigências da Lei Geral de Proteção de Dados.

Logo após, o atendente da companhia aérea, com um aplicativo desenvolvido pelo Serpro, faz a validação biométrica, comparando os dados e a foto, tirada na hora, com os registros governamentais. A biometria acessa informações do banco de dados do Tribunal Superior Eleitoral, além das CNHs. Ao todo, são 67 milhões de CNHs e 120 milhões de eleitores cadastrados.

Mais praticidade

O intuito é que, no futuro, os passageiros façam isso por meio de aplicativos das companhias, antes de sair de casa. Assim, o passageiro não precisaria mais apresentar o cartão de embarque e um documento de identidade. Em vez disso, totens com leitores digitais farão o reconhecimento facial na entrada da sala de embarque e antes do acesso à aeronave.