YouTube Shorts é novidade no segmento de vídeos curtos

A empresa fez acordos com gravadoras e produtoras musicais para consolidar o YouTube Shorts

Foto: Reprodução

O Youtube liberou nesta semana, o YouTube Shorts, a ferramenta, que é novidade para os brasileiros, já vinha sendo testado na Índia, desde setembro, e desde março nos Estados Unidos.

O Shorts deve se estabelecer como mais uma plataforma que promete ser novos concorrente para os chineses TikTok e Kwai, já que chega com a mesma proposta de permitir aos usuários vídeos rápidos.

De acordo com a empresa, o Shorts deve aparecer aos poucos dentro do aplicativo do YouTube. A proposta é que todos visualizem o recurso até o fim de semana.

Maiores mercados

O Youtube acrescenta que o Brasil é um dos seus cinco maiores mercados, contanto com 105 milhões de usuários mensais e 1.900 canais com mais de 1 milhão e inscritos, atualmente.

O vice-presidente global de negócios do YouTube, Robert Kyncl, relatou ao Valor que a plataforma iniciou com vídeos curtos quando a empresa foi fundada, em 2005, e depois foram expandindo para formatos mais longos.

Para ele, o que o YouTube traz à mesa é o poder de distribuição massiva. Hoje, o YouTube Shorts ultrapassou 6,5 bilhões e visualizações diárias globalmente.

Acordos

O YouTube já é uma gigante plataforma há muitos anos, mas a fim de se consolidar com o novo recurso, fez acordos com gravadoras e produtoras musicais, além de youtubers parceiros locais.

A intenção é dar maior visibilidade ao YouTube Shorts. Mas não é só o Shorts que deve apostar na iniciativa de dar espaço a artistas, o TikTok, por exemplo, anunciou recentemente um canal para o cantor Djavan.

O modelo de publicidade do YouTube, bem como a remuneração de parceiros de conteúdos têm sido adaptados ao Shorts, mas os formatos estão em estudo, pontua Kyncl. Serão investidos US$ 100 milhões, vindos de um fundo global, para pagar criadores de conteúdos este ano e no próximo ano também. Veja o formato do Shorts aqui.