Indústria precisa investir mais para acompanhar o ritmo de inovação 4.0

Estudo do Ipea apresentou declínio do investimento em inovação de 0,58% para 0,50% do PIB, entre 2014 e 2017

Foto: Reprodução

O aumento da indústria (+0,7%) gerou um resultado positivo do PIB no primeiro trimestre de 2021, sendo um dos pontos positivos para tentarmos voltar ao patamar antes da pandemia. 

Nesse contexto, a indústria de transformação é responsável por 48,7% das exportações de bens e serviços. Além disso, é responsável por 65% dos investimentos empresariais em pesquisa e desenvolvimento, e gera quase 25% da arrecadação dos tributos federais.

Encolhimento 

O cenário não é de muito otimismo para o segmento industrial, como um todo. Em 2010, a indústria representava 27,4% do total do PIB nacional. Dez anos depois, esse percentual caiu para 20,4%. No caso da indústria de transformação, a redução foi de 15% para 11,3%, no mesmo período.

Esse segmento estratégico da economia está minguando. Uma das razões para isso é que o setor não tem acompanhado o ritmo de inovação do mundo moderno. 

De acordo com Gianna Sagazio, diretora de Inovação da Confederação Nacional da Indústria (CNI), em entrevista à revista Época Negócios, o fortalecimento do setor de transformação depende propriamente de investimento na tecnologia. 

Transformação Digital

O setor da indústria precisa modernizar a mecanização dos processos, apostando na digitalização dos desempenhos, com a aplicação de tecnologias como a inteligência artificial e internet das coisas (IoT). Em resumo, precisa entrar de cabeça no que se chama 4ª revolução industrial.

No Brasil, os investimentos empresariais em inovação apresentaram queda. Divulgado em 2019, um estudo do Ipea, executado com dados do IBGE, apresentou declínio de 0,58% para 0,50% do PIB, entre 2014 e 2017.