São Luís desafia o futuro, apesar dos pessimistas de plantão e dos saudosistas

Evento debate os avanços da capital maranhense como cidade inteligente e mostra o que podemos alcançar quando pensamos grande com a cabeça e realizamos o possível com nossas mãos

TAGIL OLIVEIRA RAMOS

Nenhum de nós está livre dos chatos e dos “pés frios”. Mas, algumas vezes, acho que tenho particularmente uma “sorte” para atrair esse tipo de tempestade.

Foi o que aconteceu quando reunimos as pessoas 2,5 anos atrás para lançar o Movimento São Luís do Futuro. Um “chato de galocha” – e de pés molhados – jogou tomates no nome que tínhamos escolhido para o movimento e também para o portal.

“Futuro? quero que o futuro se exploda”, disse nosso detrator. “Quero saber é de São Luís do presente, de sua pobreza, ruas esburacadas, praias poluídas e descaso do governo”.

Ser smart é construir o futuro

Acho realmente engraçado quando alguém emite um “pré-conceito” de maneira tão enfática. Eu teria um pouco de vergonha ao comentar destrutivamente uma ideia nova nascente, sem entender o mínimo da proposta.

Mas é claro que o preconceituoso de plantão torceu o nariz e arrotou quando nós propusemos transformar São Luís numa smart city. Era muito pra cabecinha dele.

Eu não tinha bola de cristal para mostrar o erro dele. Mas hoje tenho mais do que isso: mostro o evento que aconteceu ontem (25), gravado em vídeo (abaixo) em que o tema é justamente a nossa proposta. Mil imagens em movimento valem por 1 bilhão de palavras.

Veja o nível do debate a que chegamos e avalie se o nosso futuro está se manifestando ou não.

O futuro acontece hoje para aqueles que ousam sonhar e fazer – e não apenas criticar e reclamar aos sete ventos!

Connected Smart Cities & Mobile
Encontro Regional de São Luís