Inteligência artificial terá alto impacto na competitividade para 74% das empresas

Pesquisa da Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII) mostrou, porém, que apenas 24,7% dos negócios consultados já utilizam a tecnologia

Foto: Reprodução

Para grande parte das empresas brasileiras, a inteligência artificial pode aumentar a competitividade dos negócios, mas poucas já exploram o potencial da tecnologia. Esse é o resultado de uma pesquisa realizada pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (EMBRAPII). O levantamento consultou 164 representantes de companhias de diferentes portes e segmentos.

Quase 80% dos entrevistados disseram que a I.A. pode afetar positivamente a empresa. Deles, no entanto, somente 24,7% relataram já utilizar um sistema ou uma ferramenta baseada na tecnologia. A capacitação dos funcionários em relação à I.A. foi considerada importante por todos os entrevistados: 26% disseram dar prioridade à formação técnica e 23% se concentram na capacitação dos profissionais da área de negócios.

Entre os entrevistados, 94,5% consideram fazer projetos em pesquisa e desenvolvimento (P&D) em parceria com centros de pesquisa da Rede MCTI-EMBRAPPI de Inovação em I.A. Nesse grupo, os interesses se dividem entre as áreas de manufatura preditiva (13,4%), soluções de análises de imagens (13,2%), sistema em tempo real (12,5%), sistemas de manufatura (12,3%) e Internet de Tudo (10,2%).

Seus principais objetivos com esses projetos são o apoio à tomada de decisão com base em histórico e bases de dados (19,9%), automação personalizada de produtos, processos ou serviços (19,2%) e reconhecimento de padrões a partir de dados (17,9%).

Para impulsionar projetos de inteligência artificial na indústria, a EMBRAPII lançou o Basic Funding, uma nova modalidade de fomento para o desenvolvimento de projetos de P&D por consórcios entre a indústria nacional e centros de pesquisa. Neste ano, serão investidos R$ 3 milhões em iniciativas com foco em três áreas: Deep Learning; Aprendizado de Máquina e Ciência de Dados; e Visão Computacional, Processamento de Imagens e Linguagem Natural.