VTEX, unicórnio brasileiro, abre primeiro escritório em Portugal

Primeira sede da empresa em Portugal, startup brasileira vê mercado como um dos mais promissores da Europa

Foto: Reprodução

A VTEX, multinacional brasileira de tecnologia, anunciou a abertura do seu primeiro escritório em Portugal, que terá Lisboa como sede. De acordo com o unicórnio, o mercado português de tecnologia é um dos mais promissores da Europa. Para tanto, a empresa pretende contratar novos profissionais até o fim do ano a fim de compor a sua equipe no país.

Agora, a VTEX conta com cinco operações na Europa, sendo as demais unidades em Londres, na Inglaterra; em Milão, na Itália; em Barcelona, na Espanha e em Bucareste, na Romênia. A decisão de inaugurar mais uma unidade é encarada como uma oportunidade de tornar a empresa, que é especializada em e-commerce, em um pólo de tecnologia no continente.

Qualificação da empresa

A unidade portuguesa será responsável pelo módulo “Catálogo”, que permite a gestão de produtos do e-commerce de mais de 2,5 mil lojas no mundo. Alguns funcionários, como o diretor de operações, Bruno Dias, vão migrar para Lisboa e liderar a expansão da equipe. O plano é contratar 40 profissionais seniores para o time de produto até o final de 2021.

Em nota, Dias afirmou que a expansão reforça o compromisso da startup em aperfeiçoar sua plataforma. Segundo o executivo, Portugal é reconhecido por sua comunidade tecnológica, segurança e facilidade de comunicação, assim como pela crescente atração de nômades digitais, o que irá atrair importantes talentos para qualificar ainda mais a equipe da empresa.

Profissional sênior

Os primeiros funcionários terão um perfil sênior e um desafio grande como se fossem fundadores de uma nova startup, como explica Dias. Ele relembra que, em outras expansões, como no hub do nordeste do Brasil, a empresa focou no profissional sênior, uma vez que ele traz uma pluralidade de experiências na carreira, sabe lidar com a montagem de um time e lidar com desafios que não têm um escopo bem definido.

Segundo o diretor, a escolha foi pelo ecossistema emergente e acesso a bons profissionais de tecnologia. O novo hub terá três disciplinas essenciais de produtos: engenheiros de software, designers e gestores de produto. Com as vagas, eles buscam por pessoas de diversas localidades, mas também estão procurando por brasileiros que morem no exterior.