IBM cria menor chip do mundo com 2 nanômetros

Avanço significa inclusão de mais transistores nos processadores, o que pode gerar mais desempenho e menos consumo de energia

Foto: Reprodução

IBM anunciou, nesta quinta-feira (6), o desenvolvimento do primeiro chip de 2 nanômetros (nm) do mundo. De acordo com a empresa, o semicondutor é projetado para alcançar um desempenho 45% maior ou um uso de energia 75% menor em relação aos chips de 7 nm, os mais avançados do mercado.

O avanço significa incluir bilhões de transistores aos chips, o que pode gerar mais desempenho e menos consumo energético, informou a companhia. Um nanômetro é um bilionésimo de um metro – próximo do tamanho que um cabelo humano cresce a cada segundo. Na prática, isso significa que um chip do tamanho de uma unha poderia ter 50 bilhões de transistores.

Dario Gil, SVP e Diretor de IBM Research, afirma que, a inovação refletida no novo chip, é essencial para a criação de novas e mais potentes plataformas de tecnologia que podem ajudar a sociedade a enfrentar grandes desafios, desde mudanças climáticas e sustentabilidade à escassez de alimento. O chip foi desenvolvido no laboratório de Albany, nos Estados Unidos. 

Benefícios do chip

O novo equipamento apresenta vários benefícios, incluindo a redução da pegada de carbono dos data centers, já que eles representam 1% do uso de toda a energia global. O semicondutor também pode acelerar as funções de laptops, oferecendo um processamento mais rápido em aplicações, auxílio mais fácil na tradução de idiomas e mais velocidade no acesso à internet.

A companhia afirma que esse projeto permite que os processadores sejam 45% mais velozes do que os chips baseados no processo de 7 nanômetros, presente em boa parte dos modelos recentes de smartphones e computadores. O consumo de energia poderia cair em até 75% e o chip pode quadruplicar a vida da bateria de celulares, exigindo que os usuários carreguem seus dispositivos a cada quatro dias.

Chegada ao mercado

A tecnologia ainda deve demorar anos para chegar ao mercado. A IBM já foi uma das grandes fabricantes de chips do mundo, mas atualmente terceiriza a produção em massa para outras empresas. Será preciso fechar acordos de licenciamento e adaptar fábricas. Além disso, os chips de 3 nanômetros devem chegar ao mercado primeiro – o que está previsto para acontecer depois do segundo semestre de 2022.