Com alteração de valores, Spotify ficou 30% mais caro no Brasil

O plano família sofreu a maior alteração entre todos os outros, aumentando 30%, de R$26,90 para R$ 39,90 por mês

Foto: Reprodução

O Spotify ficou mais caro no Brasil, Europa e Reino Unido desde o dia 30 de abril. Por aqui, a plataforma aumentou o valor das assinaturas premium. O plano família sofreu a maior alteração entre todos os outros, aumentando 30%, de R$26,90 para R$ 39,90 por mês. A alteração foi informada aos usuários por e-mail.

Antes da alteração, o plano universitário custava R$ 8,50, com o aumento do valor, a alteração sofreu salto de 16%, passando para R$ 9,90 mensais. O premium saiu de R$ 16,90 para R$ 19,90; o duo aumentou R$ 3 reais, agora custa R$ 24,90, alta de 14%. Mesmo diante do aumento de preço dentro de um cenário econômico duvidoso e balançado, a plataforma está confiante com a decisão tomada.

Daniel Ek, CEO do Spotify, afirma que o serviço passaria por mais reajustes para oferecer um conteúdo melhor. Ele também relaciona a movimentação à produção de conteúdo exclusivo, como podcast e programas exclusivos. A plataforma de streaming possui, atualmente, 345 milhões de usuários ativos, destes, 155 milhões de usuários são pagantes.

Vale ressaltar que os valores aumentaram desde já apenas para novos usuários, estes já estão pagando mais caro desde o fim de abril. Enquanto os usuários que já era assinantes da plataforma só passam a pagar mais caro a partir de julho, previamente informados pela empresa.

A questão a ser levantada é: aumentando o valor dos planos dentro de um período pandêmico seria favorável para a empresa? A publicidade, por exemplo, já sentiu o impacto destes longos meses de pandemia e de crise econômica. O Spotify espera fechar o ano de 2021 com 400 milhões de usuários ativos e chegar a 158 milhões de euros na receita.