Projeto demonstra que raios UV são capazes de reduzir a presença de vírus em até 99,9%

O projeto atende aos padrões internacionais de segurança em proteção contra radiações não ionizantes

Foto: Reprodução

Parece ficção científica, mas não é. Em meio à pandemia de Covid-19 e aos protocolos de biossegurança impostos para diminuir a disseminação do vírus, pesquisas começaram a serem desenvolvidas para encontrar uma forma das pessoas se reencontrarem com a segurança necessária. O Studio Roosegaarde, que se autodefine como um laboratório de design social, a resposta pode estar no uso da luz. 

O laboratório holandês desenvolveu um projeto, batizado de Urban Sun, que vem demonstrando que raios ultravioleta (UV) com comprimento de onda de 222 nanômetros – menor que os 254 nanômetros dos raios UV, que são prejudiciais aos humanos – são capazes de reduzir a presença de vírus diversos em até 99,9% – incluindo o da gripe e o do novo coronavírus. 

O Studio Roosegaarde fez a primeira instalação do Urban Sun em Rotterdam, na Holanda, no início deste ano, como uma demonstração. O projeto está sendo bem-recebido por cientistas europeus e americanos. Em tese, essa aplicação poderá proteger um circuito no parque, estádios de futebol, piscinas públicas ou prédios inteiros – o resultado estético há de ser bem modernista.

Vale ressaltar que o projeto também atende aos padrões internacionais de segurança em proteção contra radiações não ionizantes, cuja energia é insuficiente para ionizar átomos ou moléculas. O Studio Roosegaarde está disponibilizando o Urban Sun para exposições e convidando governos e outros parceiros a colaborar com eles para obter mais instalações.