Banco sueco estima que emissões ‘verdes’ devem bater recorde neste ano

O SEB avalia que o mercado de sustentabilidade vai se expandir para abarcar novos tipos de produtos financeiros

Foto: Reprodução

As novas projeções do banco sueco Skandinaviska Enskilda Banken (SEB), que desenvolveu o conceito de “green bond” (título verde), estimam que as emissões de dívida que atendem a critérios de sustentabilidade ambiental e social deverão bater recorde neste ano. O valor deve ficar próximo de US$ 1,178 trilhão globalmente, aponta a instituição.

Thomas Thygesen, chefe de pesquisa de clima e finança sustentável do SEB, afirma que o funding está aumentando porque a transição para descarbonizar as economias ganha mais ritmo do que qualquer pessoa tinha antecipado. Para ele, haverá um aumento significativo de investimentos públicos em infraestrutura de energia. Entre os primeiros sinais está em setores como o automobilístico.

Etiqueta “verde”

O levantamento considera que, após um “tropeço de curto prazo” ocasionado pela pandemia de Covid-19, é o melhor momento para produtos financeiros com etiqueta “verde”. Agora, as novas projeções do banco são 25% maiores do que o cenário mais otimista elaborado no começo do ano, além de levar em conta o anúncio da União Europeia de futuras emissões de € 250 bilhões de títulos verdes para financiar o pacote de estímulo pós-pandemia.

Em entrevista ao Valor Econômico, Kristoffer Nielsen, do banco sueco, disse que a expectativa é de emissões de US$ 600 bilhões de green bonds, US$ 334 bilhões de social bonds, US$ 156 bilhões de sustainability bonds e US$ 88 bilhões de sustentability-linked bonds. As emissões totais de US$ 1,178 trilhão devem vir após o verão europeu, entre julho e agosto.

América Latina

O executivo afirma que US$ 5,8 bilhões, quase 60% do total de emissões da América do Sul, até agora, em todos os tipos de produtos, foram emitidos somente pelo governo do Chile. No ano passado, os chilenos também emitiram US$ 4,3 bilhões de títulos verdes só no primeiro trimestre. Uma projeção para a região, sem o Chile, aponta para um total de US$ 25,8 bilhões de emissões de títulos de dívida sustentável.

No Brasil, por outro lado, Nielsen nota que os títulos vinculados à sustentabilidade têm sido populares nos últimos seis meses – total de emissões a US$ 2,8 bilhões -, o que poderia proporcionar volume maior. O SEB fundamenta seu otimismo no melhor trimestre em todos os tempos para os títulos sustentáveis.