Dirigente da TGS visita FIEMA e destaca “novo pré-sal” para a Bacia do Pará-Maranhão

A visita se referia à possibilidade de uma bacia petrolífera com potencial de 20 a 30 bilhões de barris de petróleo

Foto: Reprodução

Neste mês, João Carlos Correa, da empresa TGS no Brasil, visitou a Federação das Indústrias do Estado do Maranhão (FIEMA), que tem à frente de sua presidência Edilson Baldez. A visita se referia à possibilidade de uma bacia petrolífera com potencial de 20 a 30 bilhões de barris de petróleo.

A ideia do porte de um “novo pré-sal” na Bacia do Pará-Maranhão surgiu da união entre o ex-diretor da ANP, consultor da FIEMA e professor da Universidade Federal do Maranhão (UFMA), Allan Kardec Dualibe, o geólogo e consultor Pedro Zalán (ZAG, ex-petrobras) e Ronaldo Gomes Carmona, professor de geopolítica da Escola Superior de Guerra e consultor da FIEMA.

Parceria com a AbesPetro

Correa também fez questão de destacar outro ponto, a possibilidade entre uma parceria da FIEMA com a AbesPetro, uma associação civil sem fins econômicos que representa os interesses comuns das empresas de serviços de petróleo para realizar um seminário com os especialistas para tratar do assunto que pode mudar o cenário econômico do Maranhão.