Startups lideradas por negros são selecionadas para fundo de investimento do Google no Brasil

Das oito novas empresas selecionadas, quatro vêm de estados do Nordeste

Foto: Reprodução

Google anunciou nesta terça-feira (13) oito novas startups selecionadas para receber investimentos do Black Founders Fund. Em setembro do ano passado, a gigante da tecnologia anunciou que investiria R$ 5 milhões em negócios geridos por negros no Brasil a partir do seu braço Google for Startups, ampliando uma iniciativa que nasceu nos Estados Unidos em junho de 2020.

O Black Founders Fund é uma iniciativa para investir recursos financeiros, sem qualquer contrapartida ou participação societária, em startups fundadas e lideradas por empreendedores negros e negras no Brasil. O objetivo do Google é ampliar a diversidade racial no ecossistema de startups e apoiar empreendedores negros que estão construindo negócios com potencial de crescimento.

Mentoria para startups

Além do aporte financeiro, o projeto oferece mentoria para as startups que ajuda em decisões como escolha de tecnologias, construção de canais de venda e como captar mais investimentos. No total, já são 17 empresas selecionadas para o Black Founders Fund. Das oito novas empresas selecionadas, quatro vêm de estados do Nordeste.

André Barrence, diretor do Google for Startups na América Latina, afirmou que o fundo surgiu em meio a discussões sobre raça no Brasil e nos EUA, principalmente depois da onda de manifestações que ocorreram após a morte de George Floyd – o segurança negro foi morto em 25 de maio de 2020 após ter o pescoço imobilizado por um policial branco.

Poupança própria

De acordo com o IBGE, mais de 56% da população brasileira se autodeclara negra. Dos que estão no mercado de trabalho formal, 29% são donos dos seus próprios negócios, conforme dados do Instituto Locomotiva. Isso acontece, principalmente, pela existência de uma lacuna de mercado e pela dificuldade em acessar capital e conseguir crédito – cerca de 30% afirmam que tiveram crédito negado sem explicação.

O estudo “O Empreendedorismo Negro no Brasil”, realizado pela PretaHub, organização de criatividade e tendências pretas, em parceria com a Plano CDE e JP Morgan, apontou que a maioria iniciou seus negócios com poupança própria ou de familiares e amigos.

Critérios de avaliação

Entre os critérios de avaliação estão ter potencial de crescimento e capacidade da solução impactar a vida dos brasileiros; visão dos fundadores, alinhamento de objetivos e complementaridade entre o time; uso de tecnologia como base da solução; e estar buscando uma rodada de investimento seed para financiar o próximo estágio de desenvolvimento.

O Black Founders Fund irá realizar investimentos por um período de 18 meses. O formulário para inscrição e indicação de startups ficará aberto até março de 2022. O Google irá anunciar as startups que irão receber os investimentos do Black Founders Fund em momentos específicos ao longo do período.

Startups selecionadas

As 8 novas startups selecionadas são: 

  • AfroSaúde: oferece soluções tecnológicas em serviços de saúde para a comunidade negra;
  • Certdox: plataforma de simplificação e aceleração do processo de contratação de crédito;
  • Diáspora.Black: reúne ofertas de turismo, hospedagens, cursos e experiências que valorizam a história e a cultura afro;
  • Gestar: conecta profissionais da saúde materno infantil a famílias;
  • Inventivos: plataforma de educação e networking em comunidade com micro-formações para criativos, ativistas e empreendedores;
  • Prol Educa: plataforma de oferta de vagas que não foram preenchidas nas matrículas das instituições de ensino privadas por um valor mais acessível;
  • Trakto: ferramenta on-line de edição e produção de artes para redes sociais, sites, e outras peças de marketing digital;
  • UnicaInstancia: plataforma de mediação on-line que usa dados para adiantar indenizações de empresas de serviços, como telefone e luz, com objetivo de democratizar o acesso ao Direito do Consumidor.