Conheça a bilionária mais jovem e não herdeira do mundo

Whitney Wolfe: a primeira bilionária mais jovem coroada pela Forbes

Foto: Reprodução

Superando barreiras e passando por cima do preconceito estrutural, Whitney Wolfe foi coroada pela Forbes como a bilionária mais jovem (e não herdeira) do mundo. Sua fortuna está na casa de US$ 1,5 bilhão – cerca de R$ 8,3 bilhões.

Wolfe é mãe, e usou isso como orgulho ao carregar seus dois filhos ao levar sua empresa para o mercado de ações. Desta forma, ela é a mulher mais jovem dos Estados Unidos a entrar neste mercado.

Não satisfeita, Wolfe também criou o aplicativo de namoro Bumble, em que apenas mulheres podem conversar, além de ter passado pelos cargos de confundadora e vice-presidente de marketing do Tinder.

Assédio sexual

Infelizmente, seu último cargo, em 2014, não teve um fim agradável. Ainda no Tinder, ela sofreu assédio sexual de seu ex-chefe e ex-parceiro, Justin Mateen, motivo que a levou a processar a empresa e sair dali. Mesmo alegando que as acusações de sua ex-esposa eram falsas, Mateen foi suspenso da empresa e, logo depois, renunciou o cargo. A disputa terminou com um acordo extrajudicial.

Ataques na internet

Após expor o ex-parceiro, Wolfe declara ter sido inundada com ódio on-line. Muitos ataques, pessoas a insultando, coisas realmente dolorosas que ela nunca havia experimentado.

Ela acrescentou ainda que passou a acreditar que aos 24 anos sua carreira profissional havia acabado. Então, ao acordar uma manhã ela pensou: preciso me reconstruir. Segundo o The Washington Post, quando tinha 11 anos, ela foi morar com sua família na França.

Alguns anos depois, voltou aos Estados Unidos para terminar o ensino médio e cursar a falcudade. Wolfe já tinha o espírito empreendendor e corajoso desde cedo, ainda na faculdade, ela abriu alguns pequenos negócios e fundou uma organização sem fins lucrativos para apoiar causas ambientais.

Igualdade de gênero

Com um perfil totalmente voltado às mulheres, ao criar o Bumble, ela afirma que quis se dedicar mais que nunca a promover a igualdade de gênero e acabar com a misoginia que ainda assola a sociedade.

Wolfe também fez parte da aprovação de uma lei no Texas que penaliza o envio de fotos mostrando “partes íntimas”, com multa de US$ 500. A decisão de promover a lei foi tomada durante uma campanha, a partir dali ela resolveu apoiar mais essa causa.