Investir em vacinas é maneira mais rápida de fortalecer finanças públicas, aponta FMI

Se vacinações mais rápidas controlarem o vírus mais cedo, mais de US$ 1 tri em receitas fiscais adicionais podem ser arrecadados até 2025

Foto: Reprodução

O Fundo Monetário Internacional (FMI) alertou, em seu mais recente relatório fiscal, que a pandemia de Covid-19 continuará impactando a economia global e, com isso, aumentando a dívida dos países. O órgão receitou aos países que aumentem os investimentos em vacinas, já que esse é o caminho mais curto para começar a normalizar as finanças dos governos.

O relatório aponta que, se vacinações globais mais rápidas controlarem o vírus mais cedo, mais de US$ 1 trilhão em receitas fiscais globais adicionais podem ser arrecadados até 2025 nas economias avançadas. O FMI disse ainda que, se tal cenário se concretizar, o PIB mundial pode aumentar em US$ 9 milhões no mesmo período.

Riscos ainda são altos

Gina Gopinath, economista-chefe do órgão, afirma que as políticas terão que se direcionar em manter a capacidade de sustentar a atividade econômica durante este período incerto à medida que a corrida entre o vírus e as vacinas se desenrola. Apesar de as revisões terem melhorado, o risco de instabilidade financeira global ainda é alto, avalia a executiva.

Atualmente, a dívida pública do mundo está prestes a bater um recorde histórico de 99% do PIB mundial, após ter chegado a 97% em 2020, aponta o FMI. Enquanto para as economias avançadas, a dívida atingirá um pico de 122,5% em 2021, contra 120,1% do ano anterior.