Vinho em alta impulsiona vinícolas brasileiras

Em 2020, vinho teve um aumento de 30% no consumo per capita e vinícolas viram a oportunidade de crescer

Foto: Reprodução

Em 2020, o consumo per capita de vinho atingiu a máxima histórica com um salto de 30% – um recorde para a produção de vinho nacional. Com isso, as vinícolas brasileiras viram uma oportunidade de crescer e apresentar seu produto a um público mais amplo. 

De acordo com a Ideal Consulting, empresa de auditoria de importação e inteligência de mercado, especializada no segmento de bebidas e alimentos, o Brasil tem, atualmente, 1.003 vinícolas. Esse número inclui tanto as que fazem a bebida fina quanto as voltadas ao vinho de garrafão, feito de frutos comuns.

Concentração de produção

O Rio Grande do Sul concentra dois terços da produção, mas outras regiões começaram a crescer e, segundo especialistas, esse movimento deve continuar nos próximos anos. Um dos lugares é o Vale do Rio São Francisco, que, localizado na fronteira entre Pernambuco e Bahia, tornou-se um grande polo de produção de espumantes, como, por exemplo, a gaúcha Miolo e a portuguesa Rio Sol.

Uma vinícola que tem crescido em produção de vinhos é a Guaspari, de Espírito Santo do Pinhal, em São Paulo. A área tem 50 hectares de terra, produzindo uvas viníferas em diferentes pontos da propriedade. A propriedade produz ainda café gourmet com a mesma marca, e há espaço para a expansão do plantio.

A Guaspari produz 120 mil garrafas por ano, que são vendidas para os milhares de turistas que vão até Espírito Santo do Pinhal todos os anos. Além disso, a companhia mantém um e-commerce próprio e distribui seus produtos em redes como St. Marché, Santa Maria e Eataly, na capital paulista. 

Temperaturas mais baixas

A Villaggio Bassetti tem colhido uvas viníferas em temperaturas mais baixas: a vinícola fica em São Joaquim, município catarinense conhecido como um dos mais frios do Brasil. A região de São Joaquim, na Serra Catarinense, fica a cerca de 1,4 mil metros de altitude e  reúne 19 vinícolas.

A produção de vinhos ainda é relativamente pequena, e o turismo acaba sendo o responsável por comunicar ao público a existência desse polo de vinhos. Aos poucos, os vinhos da Villaggio Bassetti conseguem uma projeção nacional, pois, além do e-commerce, os produtos estão disponíveis em restaurantes paulistas, como a rede Ráscal. 

Interior do Brasil

Um pouco mais para o interior do Brasil, localizada no Cerrado, a vinícola Pirineus ocupa 5 hectares no município de Cocalzinho, em Goiás, onde fabrica vinhos e espumantes. A propriedade começou a vender seus primeiros vinhos em 2013 e alguns deles receberam prêmios e elogios como o do sommelier Manuel Beato, que definiu um rótulo da marca como “uma aberração de tão bom”.