Entenda o Scareware, programa malicioso que ‘causa medo’

Software causa danos ao PC através de “ameaça falsa”

Foto: reprodução

O nome Scareware é uma junção do termo em inglês “scare” (medo) com “software”. Esses programas maliciosos causam uma sensação de apreensão no usuário ao se deparar com a situação de ter, supostamente, um vírus perigoso em seu computador.

O Scareware funciona assim: primeiro, ele manda uma notificação no computador do usuário – através de pop-ups ou avisos com sons que chamam atenção – avisando que o PC está infectado com um tipo de vírus que, na realidade, não existe. Depois, oferece uma “solução” para o problema, apresentando um antivírus. É aí que mora o perigo, porque, ao clicar nesse programa, a vítima acaba instalando o aplicativo maléfico.

Esse programa falso pode causar diversos riscos ao usuário. O principal é o acesso a informações pessoais – como data de nascimento, documentos e senhas. Além disso, caso o aplicativo peça para que a vítima compre o antivírus, a pessoa pode ceder suas informações financeiras no processo – e, com isso, senhas de banco e cartões de crédito também poderão ser tomadas.

O software pode instalar malwares no computador para perseguir às ações do usuário, podendo visualizar o acesso a sites, redes sociais e e-mails trocados. Assim, o scareware pode levar informações para cibercriminosos ou até espalhar o programa maléfico para outros usuários da rede a partir desse acesso.

Prevenção

É importante prestar atenção a características desse tipo de software: a mais marcante são os pop-ups agressivos, difíceis de serem fechados e que levam o usuário para um site suspeito ou começam um download após um único clique.

É preciso se atentar a e-mails suspeitos que indicam a realização de uma ação “urgente” e problemas na performance do computador após o download de algum programa. O usuário tem que ficar atento também a lentidão, aparição de novos softwares que não reconhece ou mais anúncios que o normal.

Caso seja infectado, a vítima deve desinstalar imediatamente o programa baixado. Para maior segurança, pode ativar um antivírus legítimo para se livrar do aplicativo. Vale ainda atualizar os navegadores usados e ativar extensões que bloqueiem pop-ups para evitar que a ameaça ressurja.