Produtores da Amazônia se conectam com consumidores por meio de plataforma digital

A plataforma expõem as bijoias produzidas com uso de resíduos naturais encontrados na Amazônia, como madeiras e sementes

Foto: Reprodução

Com a pandemia de Covid-19, o uso da internet e as compras virtuais dispararam, essa foi a melhor opção encontrada pelo Kléder Bezerra, que por meio de plataforma digital BVRio AmazoniAtiva, aproxima produtores e consumidores de todos os lugares. Por meio dela, produtos e ativos ambientais amazônicos passam a ser expostos para o Brasil e diversos outros países.

Produtores da Amazônia Legal

A plataforma expõem as bijoias produzidas com uso de resíduos naturais encontrados na Amazônia, como madeiras e sementes. A iniciativa foi colocada em prática em 2020 pelo produtor mineiro e por outros produtores da Amazônia Legal. A plataforma digital é formada por mais de 60 produtores locais que já estão cadastrados.

Renato Castro Santos, que é coordenador da plataforma, tem como meta alcançar uma faixa de 100 produtores locais até o final de 2021. Segundo ele, hoje a plataforma funciona como um showroom, onde todos os produtores assumem papel de protagonistas, como indígenas, quilombolas, mulheres, associações e cooperativas e mostra o que eles tem para o consumidor.

Divulgação gratuita

O mostruário lista produtos como móveis, peças artesanais, óleos essenciais, cosméticos naturais e fitoterápicos. No período de 30 dias, são vendidos, em média, 120 peças e o faturamento chega a R$ 6 mil. A divulgação dos produtos não é cobrada, aqueles que tiverem interesse precisam somente preencher o formulário no site e aguardar o contato.

Uma das artesãs, Lucélia Maia de Souza, diz que o mais importante é que na plataforma tem o e-mail e telefone próprio de cada um. Então, o consumidor quando entra, fala diretamente com os produtores. Ela produz tábuas e espátulas. Por conta da pandemia, o faturamento de 2020 caiu, enquanto 2019 ela faturava R$ 20 mil, no ano passado o valor chegava a R$ 5 mil.