Nubank pode virar maior banco do país em clientes em 2023

O crescimento acelerado ocorre sob uma base muito menor de custos

Foto: Reprodução

Criado em 2013 a partir de um investimento de US$ 3 milhões e a ideia de um cartão de crédito menos burocrático, o Nubank pode atingir um feito inimaginável até bem pouco tempo atrás: deixar para trás os gigantes do setor bancário e se tornar a instituição com maior número de clientes do país em apenas uma década.

As projeções foram realizadas pela XP, em um detalhado relatório que trata do avanço das novas empresas de tecnologia financeira sobre os bancos tradicionais. O líder de mercado é o Banco do Brasil. Fundada após a vinda da família real portuguesa para o país, a instituição contava com 74 milhões de clientes em 2020.

O crescimento acelerado ocorre sob uma base muito menor de custos. A fintech não possui nenhuma agência física e conta com um quadro de menos de 4 mil funcionários, contra uma rede da ordem de 4 mil pontos de atendimento e mais de 90 mil empregados dos maiores bancos.

E qual a receita para o avanço do Nubank? Aparentemente, fazer o mesmo que os bancos tradicionais, só que muito melhor e mais barato para os clientes. O índice de satisfação dos detentores do cartão roxo, medido pelo NPS (Net Promoter Score) era de 87 em 2019, contra apenas 23 da média do setor bancário.

Além do crescimento na base de clientes, o Nubank, com mais de 33 milhões de usuários no fim de 2020, já tem uma representatividade considerável no mercado de crédito, uma das grandes barreiras históricas para os concorrentes. No início deste ano, a companhia recebeu um aporte de US$ 400 milhões e foi avaliada em US$ 25 bilhões, o que tornou a fintech mais valiosa que a própria XP.