Fintechs do Brasil atingem valor recorde em investimentos

Nos primeiros meses de 2021 elas já conquistaram US$ 500 milhões (R$ 2,8 bilhão)

Foto: Reprodução

As fintechs do Brasil já podem dizer que esse é um ano de investimentos. Em menos de três meses, elas já conquistaram US$ 500 milhões, que convertidos à cotação atual contabilizam R$ 2,8 bilhão. Segundo dados do relatório mensal do Distrito Dataminer, esse valor representa 25% do que foi recebido no ano passado, no mesmo período.

Investimentos recordes

Os investimentos recebidos em 2021 foram destinados a 11 startups financeiras. Nestes primeiros meses, algumas delas já apuram valor recorde de investimento. Um exemplo é o valor de US$ 70 milhões arrecadado pela carteira digital RecargaPay.

Outro aporte milionário, no valor de US$ 18,5 milhões, foi destinado ao Banco BV na Trademaster, fintech de crédito para pequenas e médias empresas. Para Tiago Ávila, líder do Distrito Dataminer, cada vez mais startups “abocanham uma fatia do mercado” ao lançar serviços financeiros, mesmo aquelas cujo core business está em outros setores.

Fintechs concentradas no Brasil

O Banco de Compensações Internacionais (BIS) divulgou um estudo revelando que 50,5% das fintechs de negócios estão concentradas no Brasil. O percentual obtido conta com investimentos, negociações e financiamentos.

Em 2018, o mercado financeiro brasileiro representado pelas fintechs alcançou US$ 2,5 bilhões em acordos de investimentos. Além de ser um mercado rico em investimentos, o Brasil também lidera o número de negócios fechados, são 222 acordos no prazo de quatro anos analisados.