E-commerce pode crescer 56% no Brasil até 2024

O estudo levou em consideração a participação do e-commerce, no ano passado, em 41 países

Foto: Reprodução

É um bom momento para investir no comercio eletrônico. O levantamento “The Global Payments Report 2021” da Worldpay from FIS, empresa americana com foco em produtos e serviços financeiros, estimou que, até 2024, o segmento de e-commerce no Brasil deve crescer aproximadamente 56%. 

O estudo levou em consideração a participação do e-commerce, no ano passado, em 41 países. Em um nível global, o comércio eletrônico cresceu 19% em 2020, tendo o maior avanço dos últimos cinco anos. No Brasil, o tamanho, durante a pandemia, teve um salto de 98% entre abril de 2019 e o mesmo período de 2020.

As transações de e-commerce tiveram uma alta de 22,2%, sobretudo em função das compras via smartphones. Segundo a pesquisa, as vendas de e-commerce no Brasil devem chegar a US$ 56 bilhões em 2024, ante aos US$ 36 bilhões de 2020 – um aumento de 55,5%. O Brasil deve observar um crescimento médio anual do setor de 13,8% nos próximos quatro anos.

Cartões de crédito dominam

Segundo a pesquisa, os cartões de crédito são os dominantes nas vendas de e-commerce, sendo responsáveis por 43% das transações. Depois dele, há a carteira digital/móvel (17%), cartão de débito (13%), pós-pago (12%), transferência bancária (8%) e débito direto (2%).

Já pagamentos na entrega, cartão de compras e cartão de débito diferido, cartão pré-pago e pagamento antecipado, contabilizaram 1% cada. As compras nos pontos de vendas físicos, o dinheiro foi o mais usado (35%). Contudo, quando somadas as transações envolvendo cartão de crédito, cartão de débito e carteira digital/móvel, os números chegam a 62%.