Negócios sustentáveis fazem sucesso sem agredir o meio ambiente

Conheça quatro negócios que oferecem serviços e produtos diferenciados e sustentáveis

Foto: Reprodução

Uma pesquisa da consultoria Nielsen constatou que o consumo sustentável está entre os três maiores fatores de decisão de compra para um terço dos brasileiros. À vista disso, muitos negócios estão fazendo sucesso com produtos e serviços que não agridem o meio ambiente.

Água vendida em caixa de papelão 

Depois de dois anos de estudo, a startup paulista Água na Caixa lançou água mineral em caixa de papelão. A água vem em uma embalagem 100% reciclável e com 82% da matéria-prima renovável, feita de papel, plástico de cana-de-açúcar e alumínio. Para incentivar o reuso, a caixa tem um bocal maior para reabastecer com água e também é possível personalizar com o nome da pessoa.

Mandioca em vez de plástico

A startup Já Fui Mandioca também pensou na substituição do plástico e produz potes, pratos e embalagens usando mandioca. Os recipientes são feitos usando amido ou a fécula da mandioca brava – que não é própria para consumo humano. Unindo biotecnologia com equipamentos criados pela startup, eles transformam amido em uma embalagem 100% ecológica.

E-commerce consciente

O setor de logística de e-commerce está usando um selo de carbono neutro como certificação que comprova que a empresa compensa a emissão de gás poluente com uma ação ambiental. O selo foi criado por uma startup que comercializa softwares de gestão para e-commerces, em parceria com uma consultoria de sustentabilidade.

Esse selo garante que todo CO2 emitido pelos veículos usados na entrega de produtos é quantificado e compensado, na mesma proporção, em uma ação ambiental, como preservação florestal ou reflorestamento. A procura por esse tipo de certificação subiu 40% durante a pandemia.

Reciclagem de pneus 

Pneus descartados podem ser reciclados e transformados em um selante preventivo, usado para prevenir furos de outros pneus. É isso que faz uma fábrica em São Paulo, que faturou R$ 2,1 milhões em 2020. Com pesquisa e inovação, o pneu, que demora até 600 anos para se decompor na natureza, volta ao mercado como outro produto. 

A empresa começou em 2018, lançando produtos para pneus de motos, mas, no final de 2020, passou a oferecer também para bicicletas, carros, caminhões e equipamentos agrícolas.