Brasil é o segundo país com maior número de ataque de aplicativos espiões

A utilização desse tipo de programa está diretamente relacionada a casos de abuso e violência doméstica contra mulheres

Foto: Reprodução

Stalkerwares são aplicativos que rastreiam todas as atividades realizadas no aparelho de uma pessoa e repassam as informações a uma outra. Segundo um relatório divulgado pela companhia de cybersegurança Kaspersky, só no ano passado, o Brasil teve 6,5 mil vítimas de stalkerwares – cerca de 12% dos ataques globais -, tornando-se o segundo país com maior número de ataques desses aplicativos espiões. 

Quem ocupa o primeiro lugar da lista, com 12.389 ataques, é a Rússia. A lista dos países com o maior número de ataques por stalkerwares também inclui o México, com um total de 1.570 vítimas, a Índia, com 4.627, e os Estados Unidos, com 4.745. A pesquisa revela ainda que a utilização deste tipo de programa está diretamente relacionada aos casos de abuso e violência doméstica contra mulheres.

A Coalition Against Stalkerware (CAS), instituição criada pela Kaspersky em conjunto com nove organizações para conscientizar o público e melhorar a detecção de stalkerwares, afirmou que o público feminino representa a maioria das vítimas dos ataques envolvendo esses aplicativos.

Em 2020, devido às medidas de restrição impostas para a contenção do novo coronavírus, houve uma redução de 17% no uso de stalkerwares em comparação com o ano anterior, já que as pessoas passaram mais tempo em casa. Porém, com o afrouxamento das restrições, o uso de apps de espionagem voltaram a crescer. 

Como identificar um stalkerware 

É importante ficar atento ao uso de dados e a bateria do celular. Como esses programas funcionam em segundo plano e precisam de acesso à internet para enviar informações aos stalkers, é comum notar queda drástica na bateria e um pico no uso de dados móveis durante o dia.

Outra dica é checar as permissões concedidas aos aplicativos instalados no celular e suspeitar de permissões abusivas – um aplicativo espião pode estar disfarçado. Não faz sentido, por exemplo, que um aplicativo de Wi-Fi peça permissão para acessar a localização do dispositivo. Para se prevenir, também é bom deletar aplicativos que não são utilizados com frequência ou que o usuário não se lembra de ter baixado.

Pode-se também verificar se a configuração que permite instalar aplicativos de fontes desconhecidas está habilitada. Como stalkerwares não estão disponíveis para download na Play Store, eles precisam ser baixados de fora da loja oficial do Google. Para checar se o ajuste foi ativado, é preciso acessar as configurações do Android, ir em “Segurança” e ver qual o status da opção “Instalar Aplicativos Desconhecidos”.