Moradia por assinatura vira tendência e chama atenção dos brasileiros

No Nordeste, já é possível ter acesso à modalidade que foge do aluguel tradicional na cidade de Fortaleza

Foto: Reprodução

Você já ouviu falar em moradia por assinatura? A novidade vem chamando atenção dos brasileiros por se tratar de uma alternativa mais flexível e menos burocrática. Esse modelo de “casa” pode ser encontrado nas regiões Sul e Sudeste do país. No Nordeste, já é possível ter acesso à modalidade que foge do aluguel tradicional na cidade de Fortaleza.

Assim como nos serviços de streaming audiovisuais, a reserva pode ser feita por meio de catálogo, que permite escolher onde quer morar e por quanto tempo pretende ficar. Além disso, a casa já é mobiliada e equipada com aparelhos eletrodomésticos, artigos de cama, mesa e banho, o que aumenta ainda mais as questões de praticidade.

Tendência

O diretor do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Ceará (Creci-CE), Apolo Scherer Filho, relata que a modalidade deve se tornar uma tendência, uma vez que é um segmento que tem crescido muito, especialmente no setor de turismo.

Scherer acrescenta que, ao viajar, os turistas optam pela liberdade e menor preço dos aluguéis de curta temporada em serviços como Airbnb, por exemplo. No entanto, ele não descarta a adesão também de moradores locais. À princípio, o serviço foi feito para locações de curtos prazos, mas estão se moldando para prazos mais longos.

O prazo máximo para ocupar o local, seguindo a lei, é de 90 dias, mas o cliente que quiser permanecer por menos tempo pode, só não é permitido ultrapassar o prazo estabelecido juridicamente. Creci explica que, por haver uma movimentação de diversas pessoas diferentes, pode gerar uma insegurança, especialmente em casos que o locatário não tem mais garantias sobre quando acontece algo com imóvel.

Parceria

Em dezembro de 2020, a Diagonal fechou parceria com a Housi, startup que atua no segmento ‘on demand’ e lançou o Connect Beira Mar, primeiro condomínio por assinatura em Fortaleza. O gerente comercial da Diagonal, Anderson Almeida, diz que quiseram mudar a filosofia dos aluguéis com um novo jeito de morar com mais liberdade e praticidade. É uma nova pegada alinhada às demandas das novas gerações, completa.

Imóvel próprio

Com o passar do tempo, o desejo de comprar um imóvel próprio foi deixando de ser prioridade, principalmente para o grupo mais jovens, entre 16 e 24 anos, segundo relata uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisas Sociais e Econômicas (Ipespe). Aproximadamente 80% já admitem não se importarem com isso.

Almeida relata que os apartamentos são vendidos com toda a gestão e padronização da Housi, não precisando se preocupar em anunciar o apartamento, fazer manutenção ou receber os clientes. Além disso, a rentabilidade estimada é, em média, de 9% ao ano.